Um novo ano que se inicia

0
391
Imagem: geralt / shutterstock

Mais um ano se inicia, mais um ciclo de 365 dias de expectativas, sonhos, metas e esperança, mais uma chance para fazer acontecer todos os nossos anseios…

Fico me perguntando de qual a maior dificuldade de conseguimos cumprir com as nossas metas, será que tudo é proporcional ao grau da nossa motivação?

O dia sempre se inicia cheio de planos mas basta um segundo de distração e as horas se passam voando, como por exemplo, vamos ver se chegou aquele e-mail sobre a vaga de trabalho, é só abrir o e-mail e vemos vários outros sem muita importância mas o suficiente para desviar nossa atenção, sem dizer as redes sociais, é só uma olhadinha e quando vamos ver já se passaram 30 minutos… e o tempo não nos espera… passa como um trator por cima de nós e quando vamos ver… já estamos praticamente no final de janeiro…

Como profissional da área da saúde mental, trabalho com diversas técnicas de como podemos organizar nosso tempo, estabelecer metas, mas todas elas sempre vão de encontro com um inimigo bem poderoso: “as nossas emoções” e dentro desse meio tão conturbado fica difícil controla-las, é uma luta constante entre alegria, tristeza, medo, coragem, raiva, altruísmo, ódio, amor e pouca determinação para domar tudo isso… muito difícil e trabalhoso

Sinto que estamos cada vez mais carentes de nós mesmos, quem gosta de ficar submerso nesse mar revolto? Melhor boiar no mar infinito, nos distraindo com as ondas, dando voltas em barcos alheios sem nem sequer ter uma perspectiva de direção, para adiar o encontro com a pessoa mais importante e ao mesmo tempo mais temida de todos os tempos…

Vamos adiando esse mergulho derradeiro dia a dia, talvez por medo de errar e de se decepcionar, pois somos meras crianças perdidas, aprendendo a lidar com as emoções, assustadas com o mundo ao nosso redor, se defendendo de tudo e todos e através do convívio com as outras crianças vamos crescendo, através de decepções e surpresas… vamos nos enxergando através dos outros e das experiências vividas e de repente um dia quando nos cansamos dessa fuga, pouco a pouco vamos aprendendo a prestar mais atenção nas nossas metas e a controlar as nossas emoções… Será esse o caminho?

Haidy Segovia
Haidy Segovia tem 40 anos, é formada em Psicologia pela UNIP - Universidade Paulista, com especialização em psicologia hospitalar e especialidade em dependência química. Com 13 anos de atuação na área, tem experiência em orientação e seleção profissional e atua há 14 anos na área clinica com terapia breve, atendimento a crianças, adultos e adolescentes, casais e grupo, com prática em Instituições e Clínica de reabilitação ao dependente químico. Profere palestras na área de conflitos emocionais e dependência química. Mantém o site www.codepsaude.wix.com/podermental onde trata de assuntos pertinentes à sua área de atuação. No Facebook é Proj.Reviver e no Twitter seu perfil é @_psicologia. Também tem um canal no Youtube - Poder Mental

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here