O sucesso e o fracasso de um relacionamento

0
361
Casal abraçado
Imagem: Pixels / Shutterstock

Três dicas para um relacionamento dar certo e os 3 principais erros que fazem dar errado.

Os psicólogos Carla Zeglio e Oswaldo M. Rodrigues Jr., do Instituto de Sexualidade Paulista (InPaSex), listaram os principais pontos que fazem o fracasso e o sucesso de uma relação a dois.

Erros

1 – Não ter a habilidade de conversar sobre os problemas

Seja sobre dinheiro, família, filhos, a louça na pia, o xixi do cachorro fora do lugar, os sogros, etc… e resolve-los, quando eles acontecem. “Empurrar com a barriga e não resolver um problema na hora em que ele se instala, é o que desencadeia as crises a dois”.

2 – Não respeitar a individualidade do outro

O espaço de um começa exatamente quando termina o do outro. Não tem segredo, a palavra de ordem é respeitar.

3 – Não planejar o futuro a dois

Um fator de risco é não reconhecer o que pensamos sobre o futuro ou tratar a nós mesmos de modo negativo, preocupados sem compreender o que estamos fazendo neste possível relacionamento. “Não reconhecemos o que ocorre ao nosso redor e isso não conduzirá a alguma ação útil e positiva”.

Acertos

1 – Comemorar a dois

Como o Dia dos Namorados, por exemplo, ajuda a assumir o compromisso é um fator que demonstra o casal estar disponível para um futuro. Então o comportamento de evitar o compromisso num dia socialmente atribuído para esta comemoração será um dos possíveis erros que determinarão o fim da possibilidade do casal. “Muitas mulheres reclamam da falta de compromisso do homem e temem que o namoro seja passageiro. Quando ambos estão envolvidos com o futuro, o engajamento nas atividades e círculos sociais ao redor de ambos determinará a manutenção do casal”.

2 – Falar o que pensa

Sem rodeios… Expressar falando o que sentem. Quando falamos o que sentimos positivamente pelo outro facilitamos o entrosamento, o futuro deste casal. Da mesma forma, falar do que se pensa a respeito de um futuro do casal. “Não refiro aqui planos de casar, ter filhos ou envelhecerem juntos, isso terá que ficar para mais tarde, mas contar o como percebemos que a outra pessoa se encaixa em nosso cotidiano e como isto ajuda a viver coisas boas”.

3 – Ter foco

Mostrar as emoções positivas que sentimos e falar de nossas percepções de um futuro de curto prazo. Pensar de modo coerente fará sentir coisas positivas. Pensar sem um objetivo, sem reconhecer o que pretendemos, só esperando que o outro faça algo para solucionar nossos problemas, produzirá resultados errados! “Então cuidar dos pensamentos será necessário e este é um dos erros muito comuns a quem quer sentir-se bem e mostrar-se capaz em amar”.


Carla Zeglio dedica-se à psicoterapia de casais e em sexualidade e supervisão clínica com enfoque na sexualidade. Graduada em Psicologia pela Universidade São Judas Tadeu (1995), diretora do InPaSex- co-editora da Revista terapia sexual: Pesquisa e Aspectos Psicossociais.

Oswaldo M. Rodrigues Jr. é psicólogo formado pela UNIMARCO (1984); foi Secretário Geral e Tesoureiro da WAS – World Association for Sexology (2001-2005); Presidente da ABEIS – Associação Brasileira para o Estudo da Inadequação Sexual (2003-2005); dedica-se a tratar de problemas sexuais junto ao InPaSex – Instituto Paulista de Sexualidade – do qual é fundador e diretor. www.inpasex.com.br

DEIXE SEU COMENTÁRIO