Candidíase intestinal, você sabe o que é?

0
204
Imagem: Accessus Comunicação

A candidíase intestinal trata-se de uma infecção fúngica. As partes mais afetadas são os órgãos genitais, cavidade oral e intestino. Os sintomas são difíceis de serem identificados, e muita das vezes estão relacionadas com outras doenças e condições no corpo. Contudo, a causa é decorrente do aumento da população do fungo, que começa a liberar toxinas, comprometendo o funcionamento do sistema digestivo e outros sintomas não diretamente relacionados, como a acne, queda de cabelo, dor nas juntas, dor de cabeça, cansaço excessivo, tontura, depressão, ansiedade e entre outros.

De acordo com ginecologista obstetra, Dr. José Karam, a cândida é um fungo hospedeiro que pode se proliferar em qualquer órgão do corpo humano, mas os órgãos genitais, cavidade oral e o intestino são regiões mais afetadas. “A candidíase não se pega, pois é uma doença comum que ocorre quando o fungo cândida, que já vive normalmente em nosso corpo, encontra oportunidade de reprodução em excesso”, explica o especialista.

Este tipo de infecção fúngica merece cuidados especiais e um tratamento específico. “A candidíase pode ser fatal se atingir tecidos, órgão internos ou a circulação sanguínea. Portanto, é imprescindível compreender os fatores que desencadeadores da doença e tratá-la a tempo”.

Sintomas comumente associados com a candidíase intestinal são, na realidade, sintomas da doença original, que está, dentre esses quadros clínicos, causando também candidíase. Ou seja, a candidíase é apenas um sintoma e, sendo assim, não deve ser tratada diretamente. Intolerâncias alimentares, doença celíaca, diverticulite, doença de Crohn, alergias, colite ulcerativa, e muitas outras doenças podem causar sintomas que causam candidíase como efeito colateral. O paciente então começa a acreditar que seu problema é candidíase e ignora completamente a possibilidade de que tenha uma doença muito mais séria.

Fatores desencadeadores da cândida intestinal podem incluir desde o uso de medicamentos como antibióticos, Roacutan, contraceptivos orais ou até mesmo o consumo excessivo de açúcar, massas e álcool (principalmente cerveja). Além disso, o sistema imunológico enfraquecido, favorece o crescimento de fungos da cândida, visto que existem menos anticorpos para impedir a proliferação.

Diagnóstico e Tratamento

Um simples exame de sangue pode ser suficiente para diagnosticar um aumento do nível de anticorpos contra a Cândida. Para o diagnóstico serve um exame médico em que o paciente diz os sintomas e sinais de que sofre.

O Tratamento da Candidíase Intestinal pode ser feito com medicamentos antifúngicos orais. A dose depende do tipo de antifúngico oral usado, a gravidade do problema e se o paciente está internado ou não.

Do ponto de vista médico, a candidíase intestinal é uma doença que merece cuidados, portanto, é aconselhável consultar o especialista, uma vez que os sintomas podem se tornar desgastantes, e capazes de comprometer a qualidade de vida da pessoa. “É Imprescindível que o médico se mantenha bem informado sobre o histórico do paciente, por meio de um estudo detalhado, já que cada organismo reage de maneira diferente, e nem todos os sintomas podem estar evidentes”.


Dr. José Karam é ginecologista obstetra e clínico geral da CISE – Clínica Integrada Santo Expedito, reúne um espaço amplo e infraestrutura singular, com tecnologia de ponta e corpo clínico gabaritado que, de forma integrada, trabalham com o objetivo de disponibilizar aos pacientes tratamento completo e individualizado.

www.facebook.com/clinicaintegradasantoexpedito

DEIXE SEU COMENTÁRIO