12 dúvidas mais frequentes sobre sexo

0
715
Imagem: Adamkontor / Shutterstock

O que acontece no corpo da mulher durante o orgasmo? O ponto G existe? Sexo ajuda na perda de peso?

Apesar de o sexo ser algo do dia a dia do ser humano, ainda existem muitas perguntas relacionadas ao tema. O que é mito e o que é verdade? Será que ela fingiu um orgasmo? Essa talvez uma das respostas mais desejadas pelos homens, principalmente porque necessitam saber sobre sua desenvoltura na cama e no sexo e se são capazes, de fato, de satisfazer a parceira. Tirar as dúvidas e quebrar todo o tabu e curiosidade sobre o assunto é uma das tarefas da sexóloga Carla Cecarello. A profissional esclarece 12 dúvidas sobre sexo que você sempre quis saber, mas não tinha a quem perguntar.

1 – O que acontece no corpo da mulher e do homem durante o orgasmo?

Durante o orgasmo há um aumento da frequência cardíaca. Homens e mulheres ficam com uma espécie de rubor facial. O bico do seio da mulher fica digestivo, o útero sofre contrações aceleradas num intervalo de 0,8 segundos. Há uma contração muscular intensa antes do orgasmo e, com o orgasmo, há um relaxamento da musculatura. “A pressão arterial também altera nesse período”.

2 – Neurotransmissores são liberados durante o orgasmo?

Durante o orgasmo é liberado uma série de hormônios, como, por exemplo, ocitocina e dopamina. Eles atuam na relação de vínculos e a ocitocina é responsável por isso. A serotonina é um hormônio relacionado ao prazer justamente para que possa acontecer esse encontro na hora do sexo, causando uma sensação de relaxamento e de prazer agradável através dos hormônios.

3 – O ponto G realmente existe? Onde ele fica supostamente nos homens e mulheres?

O ponto G existe. É encontrado nas mulheres, ele está localizado no segundo terço da vagina na parte anterior, porém ele não é responsável pelo orgasmo. Quem atua no orgasmo é o clitóris, o ponto G é coadjuvante de uma relação sexual, a pessoa pode tentar encontrá-lo e estimulá-lo. A mulher terá mais chances de ficar mais excitada, aumentando a chance de ter o orgasmo, mas, mesmo assim, ele ainda não continua sendo o principal ponto para acontecer o orgasmo, pois é um ponto difícil de ser encontrado. Por esse motivo não adianta ficar em busca do ponto G durante a relação sexual. “O importante mesmo é que quando a mulher estiver se masturbando ela possa tentar fazer isso para tentar encontrar o seu ponto G”.

4 – Existe uma explicação científica para a soneca masculina após o sexo?

Como há uma grande atividade física na relação sexual e essa contração muscular causa certa fadiga, é comum alguns deles necessitarem de um relaxamento. No momento do orgasmo a pessoa tende a relaxar muito e o homem precisa de um tempo entre uma ereção e outra que é chamada de período refratário. É nesse momento que o homem descansa para conseguir relaxar e se recompor para uma nova ereção. O período refratário muda, conforme a idade. Quando se é mais jovem menos tempo e quando se é mais velho demora muito mais. No caso da mulher, ela tem a capacidade de ter orgasmos múltiplos, pois ela continua sendo estimulada após um primeiro orgasmo. “A mulher não apresenta essa fadiga porque a natureza é perfeita e prepara perfeitamente a mulher para o encontro sexual”.

5 – O tamanho do pênis importa na hora da relação sexual?

O tamanho do pênis não importa na relação sexual, isso é mito. A vagina é preparada para receber qualquer tamanho de pênis, ela é elástica tanto na largura quanto no comprimento. Por isso, é muito importante que as preliminares aconteçam, porque é nesse momento que o corpo da mulher se prepara para receber qualquer tamanho de pênis. O útero vai sofrendo uma pequena elevação e, à medida que isso acontece, ele puxa o canal vaginal alongando de 7 a 8 centímetros. À medida que esse útero levanta ele passa para 14 a 15 centímetros, nesse caso a mulher estará bem excitada e a vagina se amolda a qualquer grossura de pênis. “A mulher quando vê um pênis um pouco mais avantajado fica com medo e contrai essa musculatura vaginal, provocando dores. Se a mulher não estiver excitada o suficiente ficará com a vagina seca na hora de penetrar, ou seja, sem lubrificação, causando um atrito e fazendo com que a mulher sinta dor”.

6 – O pênis pode quebrar durante a relação sexual?

Pênis não quebra e não possui osso, ele é apenas um músculo. O que pode acontecer é o pênis ter uma torção, se é uma relação sexual muito intempestiva e agitada realmente, nesse caso pode acontecer à torção, causando uma dor enorme no homem, correndo o risco de até ter que ir ao médico para iniciar um tratamento.

7 – Existe ejaculação feminina?

Existe, mas são raras as mulheres que ejaculam. Ainda não se sabe o porquê desse fenômeno e não há um estudo conclusivo, isso é perceptível porque é como se a mulher estivesse fazendo xixi na hora que ela tem essa ejaculação. Inclusive é um liquido com cor semelhante da urina, porém, não apresenta o mesmo cheiro. “Isso é perfeitamente possível, porém poucas mulheres chegam nesse momento”.

8 – Homens e mulheres conseguem fingir orgasmos?

Para a mulher é muito fácil de fingir o orgasmo, porque se ela não é aquela que ejacula, por exemplo, ela faz uma meia dúzia de gemidos e está tudo certo. Não há como o homem saber, se ela for uma boa atriz, sem dúvida ela vai enganá-lo. No caso do homem também é possível. Existem homens que tem o chamado orgasmo seco, ele ejacula mentalmente, tendo um orgasmo cerebral no qual ele não ejacula no ato. Essa é a forma que o homem tem de fingir. Tanto para as mulheres quanto para os homens o orgasmo precisa ter ejaculação, mas não necessariamente.

9 – Verdade ou mito: homens sentem mais vontade de sexo do que mulheres?

Isso é um mito. Homens e mulheres tem a mesma capacidade de ter vontade para o sexo, o que muda é a educação que recebemos. Os homens desde pequenos recebem uma educação que os libera, deixando os a vontade para a relação sexual. Para as mulheres, desde crianças, nós aprendemos que devemos ser recatadas, ou seja, não pode sentar de perna aberta, não pode ver o homem nú, não pode mexer na periquita, etc, etc. Tudo isso reprime muito a relação sexual da mulher. E a mulher, que é muito atiçada sexualmente, não é vista com bons olhos. Essa é a diferença, pois a capacidade é a mesma para ambos.

10 – Praticar sexo frequentemente pode melhorar a atividade cardíaca?

A relação sexual é uma atividade física considerável. A sociedade cardiologia fez uma pesquisa mostrando que a mesma quantidade de oxigênio que precisa no sexo na hora do orgasmo é a mesma quantidade de oxigênio que precisa para caminhar 1,5 km. Pode ser também 20 minutos ou subir dois lances de escada. Se a pessoa não está preparada fisicamente também pode ter dificuldade para uma atividade sexual.

11 – Sexo ajuda na perda de peso?

Isso é mito! A prática sexual “realmente é uma atividade física, mas não pode ser usada como uma fonte de emagrecimento”.

12 – Sexo feito com frequência melhora os sintomas da TPM?

O sexo não regula o ciclo menstrual. Se o sexo é feito com frequência, os sintomas da TPM podem amenizar, porque a mulher libera alguns hormônios relacionados ao prazer. Isso pode dar uma sensação melhor para a mulher, mas não é garantia que esses sintomas estarão eliminados, eles podem ser minimizados.


Carla Cecarello é sexóloga do C-date, o primeiro site de encontros casuais da Europa. O C-date conta com mais de 5 milhões de usuários brasileiros, sendo 51% do sexo feminino e 49% masculino. O perfil dos usuários é composto por pessoas com idade entre 30 e 50 anos que procuram viver aventuras sem compromisso, de forma elegante. www.c-date.com.br

DEIXE SEU COMENTÁRIO