Exercite o bem receber

0
938
Imagem: Clau Gavioli

Sinto-me alegre e honrada em, a partir de hoje, participar do seleto grupo de colunistas de Plena Mulher. Primeiro, porque acredito no trabalho voltado ao público feminino. Não é por acaso que há tantas publicações para mulheres, é porque nós gostamos de compartilhar experiências, trocar ideias e valorizamos o que há de bom nas relações humanas.

Para a primeira coluna sobre Gastronomia & Hospitalidade, fui resgatar anotações e partes de uma publicação do final de 2014, época que comecei a me dedicar mais ao bem receber em casa. Por isso, não estranhe o leitor que vir repetidas algumas frases já vistas antes no meu blog. Não ache que se trata de autoplágio. Eu chamo de uso apropriado e adaptado.

Para quem, como eu, ama receber visita e fazer festa em casa, fiz uma lista de itens e dicas que considero fundamentais.

Ao organizar uma celebração, há passos que são muito importantes e outros até indispensáveis:

Convide as pessoas: É preciso informar os convidados com alguma antecedência para que se programem. Os convites podem ser por e-mail, telefone, facebook, whatsapp, carta, telegrama, pessoalmente ou, até mesmo, por um mensageiro. Tudo depende do grau de intimidade e de que canal costuma usar para se comunicar com seu convidado. Antecedência mínima para festas de casamento: entre 45 e 30 dias. Para as mais informais, de 15 a 7 dias. Não se chateie se a pessoa não puder comparecer caso o convite seja feito em cima da hora.

Prepare a casa – planeje o seu tempo, pense no que vai fazer e divida as tarefas de modo a chegar no dia da festa com a casa arrumada. Se você conta com a ajuda de uma faxineira, programe com ela uma vinda até o dia anterior da sua comemoração. Assim, caso ela lhe dê um cano, você terá uma noite inteira se virar com a arrumação que ela faria.

Compre as bebidas – compre ou encomende a entrega para ter antecedência suficiente para gelar. Se planejar fazer isso no refrigerador, conte com pelo menos dois dias para não correr o risco de servir cerveja ou vinho branco quentes na sua festa. Para quem não tem infraestrutura suficiente para gelar toda bebida em geladeira ou adega, o gelo é essencial. Passe uma hora antes da festa no posto de gasolina onde vende e leve pra casa. Ou, confie a missão ao amigo que você sabe que vai chegar antes de todos os demais convidados. Reserve espaço e recipiente para o gelo. Pode ser até mesmo o tanque de lavar roupa.

Providencie comida – se você é quem vai preparar, planeje seu tempo adequando-o ao seu ritmo. Se for comprar ou encomendar, leve em conta se serão comidas frias ou quentes e como devem ser acondicionadas até o momento em que serão servidas. Para festas informais, prefira finger foods, comidinhas para comer com as mãos e que não exigem talheres e mesas (exceto para apoio e para servir). Leve em consideração para calcular a quantidade de comida: horário da festa, faixa etária dos convidados, duração do evento e qual é o tipo de cardápio que será oferecido. Previna-se e não deixe faltar. Isso é a morte (ao menos pra mim!).

Sugestão: reserve uns amendoins, azeitonas ou qualquer tipo de tira-gosto para o caso de vir mais gente que o esperado.

Festa e despesa compartilhada: Em qualquer tempo, não é feio deixar que as pessoas contribuam com a comemoração trazendo alimentos e bebidas, contudo, quem decidiu dar a festa deve se precaver e providenciar alimentos e bebidas suficientes para o caso de ninguém trazer nada. Além do que é função do anfitrião providenciar que tudo o que chegar pelas mãos dos convidados seja perfeitamente ajeitado para o consumido ainda durante a festa. Quem trouxe, normalmente, o fez de coração e quer provar do que trouxe para saber se agradou.

Ajeite a indumentária da festa: Copos, pratos, talheres e guardanapos – providencie ao menos uma vez e meia o número de copos e duas vezes a quantidade de guardanapos em relação ao número de convidados da festa. Esses itens não podem faltar.

Cadeiras, poltronas, sofás, banquinhos e móveis de apoio – para uma festa de pessoas jovens, entre 10 e 25% do número de convidados é o número de assentos que você precisa ter disponíveis. Em caso de pessoas idosas, é preciso ter, no mínimo, o mesmo número de cadeiras e confirmados para o evento. Deve haver assentos suficientes para que todos se acomodem ao mesmo tempo. Não é permitido overbooking!

Banheiros: não esqueça de ter papel higiênico e sabonete suficientes para todo o período da festa, nem deixe de colocar uma ou mais toalhas para secar as mãos. É gentil ter absorventes, comprimidos e fio dental numa caixinha perto da pia ou sobre ela, para o caso de alguém precisar.

Faça uma playlist musical para animar a festa – é preciso ter uma boa seleção que dependerá do gosto do grupo, mas não pode faltar música.

Evite encrenca – avise aos vizinhos e porteiros que receberá amigos e, quem sabe até, convide os que podem se incomodar com o seu barulho e com o entra e sai. Sendo gentil e informando as reclamações, caso venham a ocorrer, serão mais amenas.

Vista-se elegantemente! – Para bem receber é preciso ter tempo para o banho, perfume, maquiagem e roupa de festa – receba bem seus amigos e aqueles que por ventura venham com eles. Sempre cabe mais um numa festa e, às vezes, descobrimos ótimas pessoas em ocasiões inesperadas. Coração aberto e generosidade são indispensáveis.

Mantenha o controle: abra você mesmo a porta da sua casa, fale com todos pelo menos um pouco, inicie assuntos e integre as pessoas às conversas. De vez em quando, verifique a arrumação e se há copos para todos e se estão à vontade para se servir. Dance, abrace, festeje, brinde!

Importante: não permita que destruam suas coisas. Há pessoas e pessoas no mundo, inclusive entre os amigos. Se notar inconvenientes, seja claro sem ser rude. Você não deve permitir que quebrem coisas, fumem em local não autorizado, ponham os pés nas paredes ou causem constrangimentos a outros convidados. Na sua casa quem dá o tom é você. Com doçura e boa educação você pode dizer qualquer coisa. Não permita que ninguém estrague a sua festa! Boa comemoração!

Dizem que bem receber é uma arte e pressupõe um espírito hospitaleiro. Há quem diga que todo ser humano carrega em si essa habilidade. Eu não creio nisso. Acredito, no entanto, que é possível aprender. Para isso, olhos e ouvidos atentos e empatia, isto é, sempre que possível, se colocar no lugar do outro. Como você gostaria de ser recebido? Esse pode ser um começo no exercício do bem receber.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here