Mulheres: guerreiras, porém sobrecarregadas: como manter o equilíbrio?

0
675
Imagem: efes / shutterstock

Na semana da mulher, em comemoração ao Dia Internacional da Mulher, celebrado em 8 de março, nos voltamos a um olhar de admiração e valorização.

Sendo apenas um dos inúmeros papéis sociais de conquistas, em conjunto com o de: mãe, esposa, filha, avó, irmã, amiga, profissional, estudante, empreendedora e muitos ainda derivados que serão conquistados ao longo da continuidade e história.

Hoje não se fala mais em jornada dupla da mulher, mas sim, jornada tripla entre: afazeres da casa, cuidados com os filhos e atividades profissionais. Mas como executar todas essas funções em apenas 24 horas do dia e ainda necessitar realizar o autocuidado?

Por um período, o multifuncional ainda pode dar certo, mas essa sobrecarga a longo prazo tende a comprometer a saúde em condições de exaustão física e mental. Muitas vezes não se percebe, não se reconhece, mas algumas atitudes percebidas indicam alto nível de estresse e o desenvolvimento do adoecimento, impactando em sua produtividade, motivação e relacionamento.

O que a princípio se dava conta, em uma condição prolongada, nesse ritmo, a tendência é essa rotina e vida serem fonte geradora de intensa ansiedade e depressão.

Mas o que fazer nessa situação?

A seguir, algumas dicas possíveis de serem exercitadas e que podem amenizar os sintomas e o fortalecimento de enfrentamento:

Uma primeira ação é o reconhecimento e a identificação desses sentimentos; seguindo a percepção de seus limites e respeitando-os.

Em um próximo momento é ideal o estabelecimento de metas, porém é necessário serem metas realistas.

E por que não um pedido de ajuda e uma divisão de responsabilidades? Por mais que exista a admiração por super-heroínas, ninguém é obrigada a ser assim a todo momento e suportar altos níveis de sofrimento.

Permita-se ter períodos de descanso e também dedicar um tempo a si mesma. Ninguém é de ferro.

Um instrumento favorável ao lidar com difíceis situações é buscar sempre o positivo, como tudo sendo uma grande vivência e aprendizagem.

Estar próximo de quem nos faz bem e ter boas companhias em volta é muito bom. Tenha relações gratificantes com família e amigos.

Uma boa ferramenta que auxilia na busca de estados de relaxamento são atividades de lazer e atividades físicas.

Agora que você já sabe o que precisa fazer, mude seus pensamentos, mude suas ações. Após pôr em prática, exercitar e tornar um hábito implementar essas ações em sua vida, você conseguirá ter um melhor controle e equilíbrio para lidar com essas jornadas e lhe dará mais gás e energia para seguir suas futuras vitórias.

Marcela Eiras Rubio
Graduada em Psicologia pela Universidade São Marcos, Aprimoramento Profissional em Atendimento Interdisciplinar em Geriatria e Gerontologia pelo IAMSPE (Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual) e pós-graduação em Gestão de Pessoas pelo SENAC. Atuações como psicóloga hospitalar no Programa Melhor em Casa do Hospital Municipal Dr. Moyses Deustch – Mboi Mirim, HGIS (Hospital Geral de Itapecerica da Serra) e HRC (Hospital Regional de Cotia). Atualmente atua como consultora em Recursos Humanos na RHF Talentos – Unidade São Paulo.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here