Trabalho e Maternidade

0
919
Imagem: tabakpolska / shutterstock

Dois assuntos e atuações distintas, mas que em algum momento da vida se cruzam é o trabalho e a maternidade. Durante nossa vida, acabamos adquirindo novos lugares e assim o acúmulo de funções.

Como reorganizar toda rotina após um grande acontecimento e mudanças e mais mudanças que percorrem curtos espaços, não param e seguem acompanhando todo o desenvolvimento do bebê.

Para todos na casa há mudanças, mas, em geral, a mudança implica mais a vida da mulher devido ainda à dependência dela na alimentação do bebê. O tempo da licença profissional da maternidade não é compatível com as adaptações e até mesmo com as orientações que sugerem a seguir de amamentação.

A mulher se vê no dilema do retorno ao trabalho e seguir o pediatra que fala que por seis meses, atualmente, é o ideal para a amamentação exclusiva e um desenvolvimento saudável.

Existe um grupo muito forte de mães hoje em dia que opta pelo caminho do empreendedorismo, uma feliz saída para o acompanhamento mais próximo de seu bebê, porém encarando mais um desafio do início e riscos de qualquer empreendimento, a dependência de alguém que a auxilie a ter condições de trabalhar.

A autonomia para administrar seu negócio, seu tempo, seu ritmo é fantástica, mas fazer isso com o desejo de trabalhar e ter a limitação de acompanhar junto as necessidades do bebê causa momentos de frustração e preocupação.

Existe a necessidade do planejamento e orçamento, mas a realidade impede muitas vezes de concluir planos. Sendo de extrema importância a compreensão de um ritmo diferenciado desse acúmulo de funções: mãe e profissional ao mesmo tempo.

É essencial não entrar em autoconflito e autocobrança, pois a situação já por si só é bastante conflituosa. É o momento de respeito ao bebê e autorrespeito ao encontro de seu limite.

Pensando sempre a nova situação como oportunidade de mudança e evolução, aprendizagem e exercício da paciência e ao encontro de calma e tranquilidade, impedindo a interferência da ansiedade e nervosismo que impede a fluidez positiva das coisas.

Marcela Eiras Rubio
Graduada em Psicologia pela Universidade São Marcos, Aprimoramento Profissional em Atendimento Interdisciplinar em Geriatria e Gerontologia pelo IAMSPE (Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual) e pós-graduação em Gestão de Pessoas pelo SENAC. Atuações como psicóloga hospitalar no Programa Melhor em Casa do Hospital Municipal Dr. Moyses Deustch – Mboi Mirim, HGIS (Hospital Geral de Itapecerica da Serra) e HRC (Hospital Regional de Cotia). Atualmente atua como consultora em Recursos Humanos na RHF Talentos – Unidade São Paulo.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here