Células-tronco, uma revolução na Medicina

4
130
Imagem: Divulgação

De acordo com a revista “Stem Cell”, os tratamentos com terapia de células-tronco e medicina regenerativa estão disponíveis, e este artigo tem tudo o que você precisa saber se estiver interessado em usar terapias regenerativas para minimizar ou até curar seu corpo das condições crônicas das articulações e da saúde.

Avanços na terapia regenerativa nos deram a capacidade de regenerar tecidos humanos como ossos, ligamentos, cartilagem, tecido nervoso, tecido adiposo e tecido hepático.

Vivemos em uma era excitante porque esta é a primeira vez na história da medicina que esta tecnologia foi disponibilizada ao público. Hoje, pessoas que sofrem de dores e de doenças crônicas têm a oportunidade de utilizar esses tratamentos extraordinários.

A maioria das pessoas tem o equívoco de que a única terapia com células-tronco disponível é a terapia embrionária e isso não poderia estar mais longe da verdade. A terapia com células-tronco embrionárias não é permitida nos Estados Unidos por causa das questões éticas e de moralidade, mas existem alguns países em todo o mundo que ainda podem realizar essas terapias.

Em 1975, os oncologistas iniciaram uma era de uso de transplantes de medula óssea, ou células-tronco da medula óssea, para tratar pacientes com leucemia. A medula óssea foi retirada da crista ilíaca (área do quadril) e processada em células-tronco antes de ser injetada de volta nos pacientes para estimular o sistema imunológico e curar com sucesso o linfoma. Essas terapias têm salvado e melhorado vidas e agora elas estão disponíveis a todos nós.

Os 5 tipos diferentes de terapias regenerativas!

Todos esses procedimentos existem há cerca de 20 anos, mas só recentemente se tornaram cada vez mais populares e mais acessíveis. Células-tronco têm “potencial bruto”, o que significa que podem se transformar em qualquer outro tecido ou órgão do corpo. Cada um desses tratamentos aproveita o poder regenerativo das células-tronco para reparar e substituir as células danificadas:

  • Tecido de Cordão Vivo / Células-Tronco Derivadas do Sangue (Células Mesenquimais)
  • Terapia com Células-Tronco Derivadas da Medula Óssea
  • Células-Tronco Derivadas do tecido adiposo
  • Terapia Plasma Rico em Plaquetas
  • Terapia Celular Amniótica

Tecido de Cordão Vivo / Células-Tronco Derivadas do Sangue (Células Mesenquimais)

As células-tronco mesenquimais são a célula-tronco adulta prototípica. Elas têm um alto potencial de auto-renovação, são altamente adaptáveis ​​e têm uma ampla distribuição tecidual.

O tecido vivo do cordão umbilical e o sangue do cordão umbilical são retirados do cordão umbilical doado.

Como funciona – Em geral, esse material é doado por mães que fazem cesariana. O tecido do cordão umbilical e o sangue do cordão umbilical contêm células-tronco vivas. Os pacientes que optam por esse tratamento obtêm os benefícios das propriedades regenerativas das células-tronco e dos fatores de crescimento em um procedimento.

Os laboratórios que processam amostras de sangue de cordão e cordão umbilicais seguem as mesmas diretrizes rígidas que a extração de líquido amniótico e devem seguir uma regulamentação cuidadosa antes que uma amostra possa ser liberada para distribuição. Lembre-se, os técnicos tomam cuidados cruciais para garantir que nenhuma das amostras contenha antígenos, portanto, os riscos são muito inimizados ao usar essas células.

Sem a presença de antígenos, não há risco de efeitos colaterais de infecção ou rejeição do tratamento. Ao considerar outros métodos de tratamento para condições articulares, como substituições de joelho por próteses, onde o risco de mortalidade é de 1 em 400 e 15 a 20 mil mortes ou com uso de medicamentos anti-inflamatórios não-esteróides, o tratamento com líquido amniótico  e células-tronco do tecido cordão vivo é uma opção muito mais segura para os pacientes.

Qualquer prática médica que administre líquido amniótico ou tratamento com células-tronco de tecidos de cordão umbilical é obrigada por lei a relatar quaisquer reações adversas ao procedimento e, até o momento, nenhuma reação adversa foi relatada na história do uso do tratamento.

Terapia com células-tronco derivadas da medula óssea

Após o espantoso sucesso da terapia com células-tronco derivadas da medula óssea no tratamento do câncer durante os anos 70 e 80, os pesquisadores começaram a explorar a eficácia das células-tronco no tratamento ortopédico. Eles começaram a usar terapia com células-tronco derivadas da medula óssea para reparar e substituir ligamentos e cartilagens com altas taxas de sucesso, e as células-tronco derivadas da medula óssea tornaram-se amplamente aceitas como uma maneira bem-sucedida de reformar o tecido cartilaginoso. A desvantagem das células-tronco derivadas da medula óssea é o número limitado de médicos que optam por usar esse tipo de tratamento.

A extração é um procedimento invasivo que requer um procedimento cirúrgico realizado em um hospital ou centro cirúrgico.

O procedimento é complicado e pode deixar os pacientes doloridos por um curto período de tempo após a extração. Outro desafio para o uso da terapia com células-tronco derivadas da medula óssea é que, embora as extrações da medula óssea sejam altamente densas com células-tronco, elas não contêm uma grande quantidade de células-tronco mesenquimais.

As células-tronco derivadas da medula óssea para esses tratamentos vêm de você

Como o tratamento é feito com células do seu corpo, o limiar para infecção ou rejeição é mínimo ou inexistente. Estas células-tronco não só são proficientes na formação de tecidos de cartilagem, mas também são usadas no tratamento de condições neurológicas, condições respiratórias, condições metabólicas e uma ampla gama de doenças crônicas e autoimunes. Esse procedimento invasivo geralmente varia de US $ 15 a 20 mil dólares nos EUA para uma grande articulação.

Células-tronco derivadas de tecido adiposo

As células-tronco derivadas de tecido adiposo vêm diretamente da gordura em seu próprio corpo. Essas células são coletadas por meio de um procedimento de lipoaspiração em que o médico extrai gordura e processa as células-tronco da amostra. A técnica é realizada em laboratório e suas células adiposas são separadas de células-tronco.

Todo o procedimento é simples e leva cerca de 2 a 3 horas para ser concluído. Como a medula óssea, as células adiposas são uma reserva das células-tronco do seu corpo. À medida que você envelhece, a quantidade de células-tronco armazenadas começa a diminuir e isso pode afetar a qualidade e a densidade das células-tronco obtidas com a extração.

Terapia com Plasma Rico em Plaquetas

A terapia com plasma rico em plaquetas (PRP) é um tratamento regenerativo. O PRP é rico em citocinas e fatores de crescimento e é comumente usado em combinação com os tratamentos com células-tronco descritos acima.

As plaquetas perfazem 1% do volume total de sangue. Quando você se corta, essas plaquetas correm para a área para selá-lo com uma crosta e começam a criar novos tecidos para o processo de cicatrização.

O PRP também contém um alto nível de fatores de crescimento e citocinas que facilitam o processo de cura e apóiam as funções imunológicas. O PRP não tem células estaminais, para que possa regenerar novas cartilagens ou ligamentos.

PRP promove a cura e também é ótimo para processos inflamatoriios. O PRP tem sido bem sucedido no tratamento de rupturas meniscais e roturas do manguito rotador com ótimos resultados. A terapia com plasma rico em plaquetas pode ser completada em cerca de 90 minutos à 2 horas.

Seu médico fará uma coleta de sangue de rotina e usará uma centrífuga para separar as plaquetas do sangue. O plasma é então injetado de volta no paciente. Este tratamento minimamente invasivo é oque tem o menor preço de todos os tratamentos regenerativos em US $ 700-1200 e é altamente eficaz.

O PRP também contém um alto nível de fatores de crescimento e citocinas que facilitam o processo de cura e suporta as funções imunológicas.

Terapia de Células Amnióticas

Células para terapia de células amnióticas é derivada de líquido amniótico obtido após cesarianas. Cerca de 32% dos nascimentos nos Estados Unidos são feitos por cesariana e as células são extraídas do tecido doado pela mãe. Os laboratórios regulamentados pela FDA levam este tecido e processam-no para a obtencao de células tronco. Esse processo obedece a regulamentos e diretrizes rigorosos do FDA.

Existe uma barreira entre a mãe e a criança durante a gestação e, no lado materno se chama tecido coriônico, que contém antígenos que poderiam produzir uma resposta imune se usados ​​para terapia celular. Esses laboratórios altamente qualificados garantem que nenhum tecido coriônico seja incluído na extração celular e que apenas tecido amniótico livre de antígenos seja usado.

As células amnióticas são responsáveis ​​pelo crescimento de um bebê, por isso são ricas em fatores de crescimento. A terapia com células amnióticas é como uma injeção de PRP supercarregada com uma maior potência de citocinas.

O líquido amniótico não contém células-tronco. Quando o tecido é extraído, ele é processado e congelado criogenicamente para distribuição.

O líquido amniótico é denso em fatores de crescimento e citocinas e é um tratamento regenerativo relativamente barato. Este tratamento é perfeito para pacientes idosos que têm uma menor chance de colher uma quantidade efetiva de células-tronco através da extração da medula óssea ou adiposa e tem uma alta taxa de sucesso com a cicatrização das articulações.

Esses cinco procedimentos de tratamento regenerativo são avanços verdadeiramente inovadores para muitas pessoas que estão procurando desesperadamente opções alternativas à dependência de medicação e à cirurgia.

Após os resultados bem-sucedidos no tratamento das condições articulares, condições metabólicas sistêmicas, condições respiratórias e saúde geral, eles certamente continuarão a aumentar em popularidade.

Marcus Borges
Dr. Marcus Borges é formado em medicina pela UNICAMP, concluiu a residência Médica em Ginecologia e Obstetrícia pelo CAISM (Especialista em Stem Cells). Com forte experiência internacional trabalhou para a Organização Mundial de Saúde (OMS/WHO) na Alemanha no hospital da RWTH-Aachen, por 3 anos. Mudou-se para os EUA onde finalizou seus estudos na UMDNJ - New Jersey no curso de pós doutorado em perinatologia por 2 anos. Com inúmeras publicações científicas internacionais voltou ao Brasil onde concluiu o curso do MBA pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Forte experiência em saúde da mulher e com inúmeras palestras iniciou seu trabalho na indústria de seguros saúde e depois na indústria farmacêutica multinacional como a Ativus, Merk Serono e na Glenmark como diretor da área médica. Adquiriu forte experiência da indústria de medicina ocupacional, trabalhando dentre outras, nas empresas como Carrefour, Volkswagen do Brasil, etc. Hoje mora nos EUA com a família em Utah e se tornou um empreendedor de sucesso em diferentes áreas de negócios como a Medidcal devces, concreto, marketing, brinquedos e restaurantes. Já contabilizou mais de 250 palestras ao redor do mundo e outras dezenas de vídeos de treinamento para a indústria farmacêutica. Atualmente escreve uma coluna para o portal Plena Mulher, levando maior conhecimento e informação para as mulheres brasileiras.

4 Comentários

  1. Dr. Marcus, que artigo Fantástico.
    Sou bariátrica, fiz a cirurgia em 2005, ainda tenho problemas c o anel. Nesse caso, p retirada do mesmo e que não haja danos no meu organismo, pois várias pessoas que passaram por esse procedimento tiveram problemas, seria pertinente na retirada, a utilização de alguma das células tronco para cicatrização local interna?

  2. Olá Virna
    Ótima pergunta e muito pertinente.
    As células tronco ou os líquidos que contem fatores de crescimento são vastamente utilizados para regeneração de tecidos e as vezes de órgãos danificados por cirurgias, traumas ou mal funcionamento do órgão.
    No seu caso não saberíamos dizer se houve injuria interna (em seu estômago) a não ser que seja feito uma endoscopia gástrica. De qualquer forma, não há indicação de se utilizar células tronco em seu caso.
    Fique tranquila, converse com seu médico e ele terá discernimento em te ajudar a se recuperar após a retirada do anel.
    Boa sorte e muito sucesso em sua jornada.

  3. Dr. Marcus, excelente artigo!
    Extremamente didático. Tais como suas palestras.
    Que cada vez mais seja viabilizado tais técnicas!
    Incrível, as células-tronco funcionam como um “Às” do baralho, assumem qualquer papel no organismo reparando-o.
    Parabéns pelo artigo e pelo maravilhoso trabalho que tens desenvolvido nesta nobre profissão.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here