Por que a medicina tradicional só trata pacientes com drogas?

0
2315
Imagem: stevepb / shutterstock

A medicina convencional não trata apenas pacientes com drogas. A medicina convencional engloba todas as técnicas que foram demonstradas por evidências confiáveis ​​para promover e proteger com sucesso a saúde humana.

Isso inclui cirurgia, fisioterapia, exercícios, nutrição equilibrada, sono adequado, cuidados preventivos, aconselhamento e mudanças no estilo de vida. Prevenir doenças, tratar doenças agudas e promover a saúde em geral por meio de medidas não relacionadas a medicamentos é uma parte fundamental da medicina convencional e sempre foi.

Se você quebrar seu braço, um médico competente colocará o osso de volta no lugar e então construirá um molde ao redor do braço para imobilizá-lo. Ele não lhe entregará apenas remédios e mandará você de volta para casa. Ele pode lhe dar analgésicos para ajudá-lo a lidar com a dor, ou antibióticos para proteger contra infecções, mas essas drogas não estão curando o osso quebrado. O osso quebrado cura-se naturalmente quando o osso é devidamente colocado no lugar e protegido de mais danos e infecções. Os médicos tradicionais sabem que o corpo humano tem a capacidade inata de curar naturalmente ossos quebrados, e é por isso que eles tratam fraturas com moldes em vez de drogas.

Se você tiver um corte profundo na perna, um médico competente fara uma sutura ou colará sua pele novamente no lugar. Ele não vai mandar você para casa apenas com drogas. Mais uma vez, o ponto é que o médico aplica um tratamento que ajuda os mecanismos naturais de cura do seu corpo.

Se você sofre de dor nas articulações (bursite), um médico tradicional lhe ensinará movimentos específicos e exercícios que ajudarão o corpo a se curar.

A lista continua e basicamente não tem fim. Se você tem uma deficiência de vitamina causada por má nutrição, um médico tradicional irá instruí-lo sobre como ter uma dieta equilibrada. Se você é alérgico a amendoim, um médico tradicional irá instruí-lo sobre como evitar alimentos que contenham amendoim. Se você tem apneia do sono, um médico tradicional provavelmente tentará usar uma máquina de respiração à noite. Se você sofre de depressão pós-parto, a primeira abordagem de um médico tradicional provavelmente será te ajudar ou encaminhar para um aconselhamento profissional. Se você tiver dores de cabeça devido ao uso excessivo de cafeína, um médico especializado ajudará você a desenvolver um plano para reduzir o consumo de cafeína.

Além disso, os médicos tradicionais instruem seus pacientes em cuidados preventivos. Eles dizem aos seus pacientes para parar de fumar, fazer mais exercícios, ser examinados para doenças e fatores de risco, evitar o abuso de drogas, estar em dia com vacinas, reduzir o uso excessivo de álcool, evitar comportamento sexual de risco.

Qualquer abordagem que tenha sido demonstrada por evidências confiáveis ​​para melhorar, proteger e promover a saúde humana faz parte da medicina convencional e é usada por médicos competentes.

O equívoco de que os médicos só usam drogas é provavelmente o resultado de dois fatores. Primeiro, há de fato alguns médicos que muitas vezes pulam todas as outras opções e vão direto para a prescrição de medicamentos. Eles podem estar muito “ocupados” para conversar com você sobre mudanças no estilo de vida, ou podem supor que você já conhece as abordagens não-medicamentosas. Qualquer que seja sua desculpa, os poucos médicos que agem assim estão simplesmente deixando de usar todos os recursos da medicina moderna, tradicional e baseada em evidências. Eles não são, portanto, representativos da medicina convencional em geral.

Felizmente, esses médicos são raros. Se o seu médico de cuidados primários nunca fala com você sobre exercícios, nutrição, exames ou vacinas, isso significa que é hora de encontrar um novo médico. Infelizmente, a abordagem incompleta de alguns médicos excêntricos pode contaminar toda a profissão na mente de algumas pessoas, levando-as a pensar que os médicos só usam drogas.

Em segundo lugar, infelizmente, surgiu uma grande variedade de prestadores de serviços de saúde não baseados em evidências que distorcem a verdade para gerar mais negócios. A fim de justificar o uso de seus produtos e serviços, eles cooptam as abordagens não-medicamentosas da medicina convencional e fingem que apenas fornecem tais abordagens. “Os médicos só usam drogas, então venha até nós para encontrar uma abordagem mais natural para a cura!” Essa é uma falsidade comum promovida por esses golpistas. Infelizmente, eles foram um pouco bem sucedidos em seus esforços de desinformação.

Muitas pessoas agora veem exercício, nutrição, aconselhamento, mudanças de estilo de vida, cuidados preventivos e cura natural como fora do domínio da medicina convencional, o que é um absurdo.

Porem, muitos médicos já estão também, utilizando o que é chamado de medicina complementar como forma de holisticamente ajudar os pacientes a obterem melhores resultados.

Note que nenhuma dessas explicações tem a intenção de sugerir que o uso de drogas prescritas é sempre uma má ideia. Para muitas situações, a prescrição de um medicamento é a melhor abordagem e em outros casos o uso exclusivo de medicamentos como forma de tratamento e errado.

 Em muitos casos, um médico tradicional está correto em ir diretamente para essa opção. Para episódios agudos de açúcar no sangue em diabéticos, as injeções de insulina são realmente a melhor abordagem. Para uma reação alérgica grave, uma injeção de epinefrina é realmente a melhor opção. Em tais situações, evitar drogas e procurar uma “abordagem mais natural” poderia ser fatal. A prescrição de um medicamento não é automaticamente um sinal de que um médico falhou.

Cabe lembrar que em casos agudos essa seria a abordagem certa, porem para acompanhamentos, prevenção de doenças crônicas e ou hereditárias a medicina não tradicional ou chamada complementar/alternativa, pode se tornar uma opção interessante com baixo custo e bons resultados.

Marcus Borges
Dr. Marcus Borges é formado em medicina pela UNICAMP, concluiu a residência Médica em Ginecologia e Obstetrícia pelo CAISM (Especialista em Stem Cells). Com forte experiência internacional trabalhou para a Organização Mundial de Saúde (OMS/WHO) na Alemanha no hospital da RWTH-Aachen, por 3 anos. Mudou-se para os EUA onde finalizou seus estudos na UMDNJ - New Jersey no curso de pós doutorado em perinatologia por 2 anos. Com inúmeras publicações científicas internacionais voltou ao Brasil onde concluiu o curso do MBA pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Forte experiência em saúde da mulher e com inúmeras palestras iniciou seu trabalho na indústria de seguros saúde e depois na indústria farmacêutica multinacional como a Ativus, Merk Serono e na Glenmark como diretor da área médica. Adquiriu forte experiência da indústria de medicina ocupacional, trabalhando dentre outras, nas empresas como Carrefour, Volkswagen do Brasil, etc. Hoje mora nos EUA com a família em Utah e se tornou um empreendedor de sucesso em diferentes áreas de negócios como a Medidcal devces, concreto, marketing, brinquedos e restaurantes. Já contabilizou mais de 250 palestras ao redor do mundo e outras dezenas de vídeos de treinamento para a indústria farmacêutica. Atualmente escreve uma coluna para o portal Plena Mulher, levando maior conhecimento e informação para as mulheres brasileiras.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here