Reconheça os perigos do fim do casamento e trabalhe para mantê-lo

2
1670
Imagem: Adamkontor / Shutterstock

Quando foi que você parou de sentir aquele negócio estranho na barriga quando encontrou seu grande amor? Vocês estão brigando mais do que devia e muito mais que antes? Tudo tem uma desculpa que justifica algum ato, onde tudo gira em torno dos filhos e contas para pagar?

A essa altura o casal já percebe que algo não vai bem no relacionamento, embora não consiga identificar exatamente o que é ou onde está o problema. Ao menor sinal de perigo busque mudar alguns comportamentos que podem, por fim, destruir o casamento.

Mostro aqui 10 sinais de que seu casamento está em perigo e você precisa fazer algo, sem esperar o outro:

1 – Silêncio: Vocês já não se falam mais, simplesmente assistem à TV juntos, ou comem em silêncio quase sempre – silencio é o primeiro sintoma de graves problemas no casamento.

2 – Críticas: O pior é quando os problemas vão além do silêncio, como quando você se sente observado e criticado por seu cônjuge, ou talvez é você quem pensa que ele não faz nada certo, não é bom o suficiente.

3 – Brigas: Quando tentam conversar, seja qual for o assunto, fatalmente termina em briga. Vocês brigam por coisas bobas como um esquecimento, um pedido não atendido, um atraso ou sapatos no meio da sala.

4 – Ausência: Nem sempre física. Você está perto do seu cônjuge, mas gostaria de estar a milhares de quilômetros de distância. Ou talvez perceba esse sentimento no seu par.

5 – Vontade de sair: Se você já pensou em divórcio ou separação e a ideia não lhe parece ruim, ou se você ultimamente vem pensando muito sobre, o seu casamento está gritando por socorro.

6 – Pouco ou nenhum sexo: Se a intimidade virou coisa do passado, se você, ou seu par demonstra total falta de desejo de interagir sexualmente, algo está profundamente errado. Falta de sexo no casamento é algo que precisa ser investigado.

7 – Desleixo: Desleixo é diferente de vestir-se confortavelmente. Quando o cônjuge não se importa mais com a aparência, em se arrumar um para o outro, é sinal de que algo mudou no íntimo dele.

8 – Distração: É comum em um casamento problemático que um (ou ambos) os cônjuges busquem distrair-se ao invés de conversar sobre determinados assuntos que inevitavelmente levam a uma briga ou toca em sentimentos ou arrependimentos íntimos.

9 – O velho problema: Brigar uma vez e outra e mais outra sobre o mesmo problema, sem que se chegue a uma solução, o que faz do cônjuge refém do passado, de um erro impensado ou de algo que disse.

10 – Outra pessoa: Você se pega pensando em outra pessoa ou até mesmo já pensou em ter um caso com alguém.

O caminho

Embora as coisas pareçam muito ruins a este ponto a boa notícia é que seu relacionamento não está fadado ao divórcio. Muito provavelmente, você só precisa descobrir onde está o problema e corrigi-lo.

Para isso é necessário tomar coragem e tomar a iniciativa.

  • Seja honesto, fale sobre o que está sentindo e a sua visão da situação sem acusações ou cobranças.
  • Mostre preocupação com o casamento e com seu par.
  • Pergunte o que poderia fazer para que o outro seja mais feliz.
  • Mude suas atitudes primeiro. Cada um deve avaliar sinceramente onde está falhando, não se deve presumir que a culpa é só do outro.
  • Encontre tempo para conversar todos os dias nem que seja por alguns minutos e inicie uma conversa.
  • Pergunte se o outro está bem, se poderia fazer algo por ele/ela.
  • Compartilhe algo engraçado ou interessante do seu dia.
  • Riam juntos pelo menos uma vez ao dia. Lembrem-se do que fazia seu cônjuge rir no tempo do namoro e reaviva isso.
  • Procurem ir dormir no mesmo horário e tirem um tempo, nem que sejam alguns minutos para demonstrar afeto.
  • Prometam um ao outro tentar mudar aquilo que contribui para se afastarem.
  • Se for o caso, ou seja, se vocês não estão conseguindo se entender apesar de todos os esforços, busquem uma terapia de casal.
  • Ria mais, chore mais, façam algo diferente, ou volte a fazer alguma coisa que fazia antigamente e faz tempo que não faz mais.
  • Seja integro em suas palavras, todos nós reconhecemos as fraquezas e as fortalezas nos outros. Difícil é querer e poder ajudar.
  • Faça-o pelo amor do passado e do futuro, mas faça.
Marcus Borges
Dr. Marcus Borges é formado em medicina pela UNICAMP, concluiu a residência Médica em Ginecologia e Obstetrícia pelo CAISM (Especialista em Stem Cells). Com forte experiência internacional trabalhou para a Organização Mundial de Saúde (OMS/WHO) na Alemanha no hospital da RWTH-Aachen, por 3 anos. Mudou-se para os EUA onde finalizou seus estudos na UMDNJ - New Jersey no curso de pós doutorado em perinatologia por 2 anos. Com inúmeras publicações científicas internacionais voltou ao Brasil onde concluiu o curso do MBA pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Forte experiência em saúde da mulher e com inúmeras palestras iniciou seu trabalho na indústria de seguros saúde e depois na indústria farmacêutica multinacional como a Ativus, Merk Serono e na Glenmark como diretor da área médica. Adquiriu forte experiência da indústria de medicina ocupacional, trabalhando dentre outras, nas empresas como Carrefour, Volkswagen do Brasil, etc. Hoje mora nos EUA com a família em Utah e se tornou um empreendedor de sucesso em diferentes áreas de negócios como a Medidcal devces, concreto, marketing, brinquedos e restaurantes. Já contabilizou mais de 250 palestras ao redor do mundo e outras dezenas de vídeos de treinamento para a indústria farmacêutica. Atualmente escreve uma coluna para o portal Plena Mulher, levando maior conhecimento e informação para as mulheres brasileiras.

2 Comentários

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here