Dieta e Saúde bucal. O que é preciso saber manter essa relação

0
1689
Imagem: Engin_Akyurt / Shutterstock

Dieta e Saúde Bucal, o que devemos saber para manter essa relação saudável.

Segundo pesquisa da Associação dos consumidores realizada com 2.400 pessoas, 68% mudaram seus hábitos alimentares nos últimos dois anos. E um dado ainda mais impactante, 80% tem vontade de levar uma vida mais saudável.

Esses números nos mostram que é uma tendência a procura por hábitos saudáveis e uma rotina alimentar mais equilibrada. E isso é muito importante, pois hoje em dia o Brasil é o terceiro país com mais obesos no mundo, cerca de 52%.

Porém, os cuidados com a saúde precisam ser pensados uniformemente, conciliando hábitos saudáveis, atividade física, saúde mental e saúde bucal também.

Reeducação alimentar

Segundo a nutricionista Ariane Longo, reeducação alimentar consiste em um processo de aprendizagem e de mudança no comportamento exercido por meio de orientações nutricionais específicas em que o indivíduo conhece e incorpora novos hábitos alimentares saudáveis. Além disso, a pessoa aprende a comer em intervalos menores, em pequenas porções, o que diminui a fome e, consequentemente, a quantidade de alimento que a mesma ingere ao longo do doa. Ou seja, em intervalos de três horas, a pessoa faz seis refeições.

Nesse caso a orientação do odontologista Dr. Guilherme Espósito de Lira é que após as refeições principais (Café, almoço e jantar) seja realizada a higienização completa com escovação e fio dental.

Nos intervalos com lanche, caso não haja consumo de carboidrato, não é necessário fazer a higienização pois diminuímos risco de fermentação sobre a superfície dental. Porém, lembramos que o resíduo alimentar pode provocar pequenas inflamações gengivais.

Jejum intermitente

É um método de emagrecimento que visa intercalar períodos de jejum com períodos de alimentação. Nesse método a pessoa cumpre janelas alimentares de 8h, 10h ou 12h, portanto, ficando em jejum durante 12h, 14h ou 16h, afirma Ariane.

Para o Dr. Guilherme, o cuidado é proceder com a higienização ao acordar e antes de dormir mesmo se não houver refeição. Isto ajuda a controlar o mau hálito, remover os resíduos que não foram removidos adequadamente nas outras higienizações e controla a flora da microbiota oral. Após as refeições, como dissemos, a higienização é indicada sempre.

Além disso é necessário ter atenção com relação ao suco gástrico, onde dependendo da pessoa, pode ser sentido na boca e causa mau hálito e até desgaste na superfície do esmalte dental.

Também iremos comentar algumas práticas indicadas por nutricionistas:

Agua com limão em jejum – manter a escovação normalmente havendo ou não consumo do café da manhã, e quando necessário realizar controle de pH bucal, seguindo a orientação do seu Dentista, que pode realizar isso através de um creme dental com pH mais básico visando neutralizar o pH da boca, por exemplo.

Chá e café ao longo do dia – caso seja sem açúcar, não altera a rotina de escovação;

Substituir refeição por shake – novamente, não altera a rotina de escovação, exceto se o shake for acrescentar uma refeição, nesse caso será necessário alterar também a rotina de higiene bucal;

Mascar chiclete durante atividade física – essa prática é “moda de internet”, as pessoas fazem isso, pois dizem que melhora a concentração, mas essa prática não é indicada pelos dentistas e nem pela nutricionista, pois cientificamente não traz ganho nenhum. Mascar chiclete pode estimular a produção de suco gástrico, e não havendo alimento para digestão, sobram seus efeitos deletérios.

Lembrando que a rotina de consulta com o dentista é tão importante quanto a rotina de consulta com a nutricionista para sua saúde.


Dr. Guilherme Espósito de Lira é odontologista e Ariane Longo é nutricionista.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here