Espiritualidade Alternativa: A sabedoria dos mestres ascensionados

Por Ana Manssour - anamanssour@gmail.com

1
1343

Cada um dos sete mestres ascencionados corresponde a um dos sete raios. Seres iluminados que regem as irradiações dos sete raios divinos sobre a Terra e que auxiliam no nosso desenvolvimento espiritual, independente de qualquer religião. Assim são os Mestres Ascensionados, um grupo de Avatares que alcançaram a iluminação após diversas encarnações como seres humanos.

Nesta matéria especial sobre Espiritualidade Alternativa, abordamos agora um pouco da história desses Mestres, sua atuação junto a Fraternidade Branca e seu incansável trabalho pela evolução espiritual.

A luz sobre os Mestres

O termo “Mestres Ascensionados” ou “Mestres Ascensos” é a denominação esotérica comum para definir um grupo de seres que alcançaram a evolução espiritual após completarem um ciclo de diversas encarnações como seres humanos. Esse termo surgiu em 1877, nas obras da esotérica russa, Helena Blavatsky, The Mahatmas, Masters of Wisdom (Ed. Elder Brothers).

Segundo a autora eles são chamados de mestres porque orientam espiritualmente os seres humanos em busca da evolução espiritual na Terra; a denominação ascencionados seria porque já encarnaram e evoluíram hierarquicamente, afastando-se das imperfeições do plano terreno em direção à Luz, à ascensão espiritual. A ascensão a que se refere Helena Blavatsky e os estudiosos do assunto, diz respeito à busca de um Amor incondicional pela vida e por todos os seres, numa diminuição substantiva do Karma negativo, transcendido assim pelo Dharma, além dos serviços prestados à humanidade, como caridade e orientação para todos que necessitem.

A grande missão desses mestres é o de despertar a consciência “crística”, o Cristo na consciência de cada um, auxiliando na libertação dos seres da “Roda das Samsaras” ou ciclo de reencarnações, na qual a humanidade estaria aprisionada. Os mestres dessa forma orientam a humanidade na busca de evolução espiritual e da conscientização da necessidade dessa transcendência.

… a ascensão espiritual é o objetivo primordial dos seres encarnados na Terra, ao final da qual a alma já não mais precisa existir no tempo e no espaço. Essa evolução culmina em um momento de comunhão com o Espírito de Deus e a presença do Verbo; o Eu Sou. (Helena Blavatsky – Os Mahatmas, Mestres da Sabedoria)

Fraternidade Branca: o governo oculto do mundo revelado

Da mesma forma que a presença dos mestres nos foi revelada, também a existência de uma grande irmandade de trabalhadores a serviço da propagação da luz foi descrita por Helena Blavatsky, uma confraria chamada Fraternidade Branca, que segundo ela – de acordo com as orientações dos próprios mestres ascensos – seria o “governo oculto do mundo”, ou seja, os líderes espirituais do planeta e os responsáveis por seu encaminhamento rumo a Luz Divina.  Dentro dessa grande fraternidade estariam todos os seres iluminados que nos auxiliam e orientam, dentre os quais, o grupo dos mestres ascensionados, que conforme essa hierarquia cósmica estaria entre Deus e os anjos.

Contudo, precisamos lembrar que a crença sobre a existência do governo oculto do mundo já existia em outras correntes de pensamento e religião, assim como os conceitos de Karma e Dharma, oriundos da filosofia oriental, mais especificamente falando, da Índia. E foi desse mesmo país que veio o termo que apresenta os mestres: Mahatma – palavra de origem sânscrita que significa “grande alma” ou “grande espírito”.

O escritor e esotérico francês Jean Angelbert define as ‘revelações’ de Blavatsky como “uma nova luz sobre velhas verdades” da mesma forma como definiu os dogmas do Espiritismo fundado por Allan Kardec:  “Na verdade esses preceitos que fundamentam o espiritismo, bem como as leis citadas por Helena Blavatsky, são apenas uma visão ocidental do Karma e Dharma que existem no hinduísmo há milhares de anos. O conceito de evolução espiritual por meio da reencarnação também é hindu. Os indianos falam sobre isso. O que vemos hoje é apenas uma tentativa de inserir essas verdades em conjunto com os ensinamentos de Jesus Cristo.”

Embora as afirmações de Angelbert tenham sentido, é inegável que o conhecimento sobre os Mestres não somente nos trouxe de volta velhos conceitos, como também reformulou a visão pela qual as Leis Universais se aplicam, além de revelar a luz sobre as “chamas divinas” ou os Sete Raios.

Os sete raios, as potências divinas em forma de irradiação positiva sobre a Terra

Segundo os estudiosos e adeptos da Fraternidade Branca, os Sete Raios são expressões de energia divina com características especiais e distintas, irradiados sobre o planeta e todos os seus habitantes com o propósito de nos iluminar e alimentar energeticamente. “Eles tem relação com os sete Chakras, os centros de energia do nosso corpo espiritual e estão descritos nas escrituras sagradas. Na Bíblia eles são citados no Livro do Apocalipse. O apóstolo João refere-se a eles como ‘Espíritos diante do Trono de Deus’, que são, segundo ele, os Sete Espíritos de Deus”, nos relata Cláudio Eduardo Schaffer, coordenador do Centro Espiritualista Chama Violeta, situado em Curitiba, Paraná.

Do trono saem relâmpagos, vozes e trovões, e, diante do trono, ardem sete tochas de fogo, que são os sete Espíritos de Deus. (Apocalipse de João – Apocalipse 4:5)

Segundo essa analogia – reforçada pelo estudo do Setenário Sagrado (estudo sagrado do sete) – cada ser humano recebe uma vibração particular de um dos Sete Raios. Assim, cada alma tem no seu âmago determinada tendência, peculiaridades, aptidões ou inclinações latentes de um desses grandes irradiadores de energia.

Mas como esses raios surgem? Quais são e como atuam em nossas vidas?

De acordo com a FEU, Federação Espiritualista Universalista, a luz branca, emanada do Criador, se divide em sete raios principais e cada um deles possui muitas virtudes e atributos específicos, cada um representando uma potencialidade divina. Os sete raios são:

Raio Azul – representa a Vontade de Deus, fé, proteção, força e poder. O Mestre Ascensionado é El Morya

Raio Dourado – representa Sabedoria, equilíbrio e iluminação. Para alguns adeptos o Mestre Ascensionado desse raio é Kuthumi. Contudo atualmente acredita-se que após sua ascensão como Instrutor do Mundo, o Mestre Kuthumi foi sucedido pelo Mestre Lanto.

Raio Rosa – representa o Amor Divino, adoração, beleza e fraternidade. A Mestra Ascensionada desse raio é Rowena.

Raio Branco – representa a Pureza, a ressurreição e a ascensão. O Mestre Ascensionado do Raio Branco é Serapis Bey.

Raio Verde – representa a Verdade, o conhecimento, a precisão da Lei. Seu regente é o Mestre Ascensionado Hilarion.

Raio Vermelho Rubi-Dourado – ou simplesmente Rubi-Dourado, representa a Plenitude, colaboração e dedicação à vida e amor universal. O Mestre Jesus era seu regente até há pouco tempo, quando foi sucedido por Mestra Nadja ou Mestra Nada como muitos preferem.

Raio Violeta – representa a Transformação, a misericórdia e a libertação. Quem rege este raio é o Mestre Ascensionado Saint Germain, que conforme a Fraternidade Branca regerá com esses princípios a Terra durante os próximos dois mil anos.

Ponte para a Liberdade

Acredita-se que o Mestre Saint Germain foi o Pai físico de Jesus, “José, o representante do Filho de Deus” e assim é também “pai de todos os filhos e filhas de Deus que trilham o caminho de Cristo na Terra”. Sua missão tem sido libertar da humanidade da opressão, da injustiça, da ignorância, da dor, da maldade, do ego e de tudo que aprisiona a alma.

Ao longo de suas muitas vidas na Terra, Saint Germain elevou sua consciência, aprimorando e devolvendo as qualidades do sétimo raio de energia cósmica. A Chama Violeta é um aspecto do sétimo raio do Espirito Divino. O “Fogo Sagrado” que transmuta a causa, o efeito, o registro e a memória do nosso passado e o carma negativo.

Ensinamentos e práticas livres de religião

Como em todos os caminhos que propõem o estudo da personalidade por meio dos arquétipos universais e a busca pelo autoconhecimento, a ciência sobre os Mestres, os Raios Divinos, a Fraternidade Branca e tudo o que esse universo abrange, não restringe seus adeptos e simpatizantes a uma religião. Ao contrário, estimula a busca de caminhos alternativos para o desenvolvimento das faculdades espirituais de cada um, visando sempre o aperfeiçoamento espiritual e moral do ser humano.

Dessa forma, as práticas inspiradas pelos Mestres baseiam-se em meditações, visualização criativa, invocações e canalização. Conforme a formação espiritual do adepto e sua vontade, também poderão ser usadas outras técnicas espirituais em comunhão e em alguns casos para potencializar a ação das Chamas Divinas: como os passes magnéticos, cromoterapia, Reiki, Cura Magnificada (Magnified Healing) entre outras.

Os lugares onde esse conhecimento e prática são desenvolvidos também são muito variados e muito democráticos. Encontraremos o estudo dos Mestres e práticas com os Sete Raios em Grupos de Estudo da Fraternidade Branca, em espaços Holísticos (centros de terapias alternativas), dentro de agremiações espíritas, em algumas casas de Umbanda (movimento da “Umbanda Esotérica”), em cursos sobre espiritualidade e até mesmo em pequenos grupos que praticam em casa as meditações e invocações dos Mestres Ascensionados.

Conhecimento novo sobre uma antiga Sabedoria

Representação da Santíssima Trindade segundo a Ponte para a Liberdade

Cada ser humano é uma expressão da Divindade, um deus adormecido, sufocado por seus anseios e preso por seus medos e culpas. Só existe um caminho que nos libertar, aquele que faz o Homem olhar para si mesmo e o desperta para uma consciência maior sobre si e sobre o Mundo – o autoconhecimento que é a base para entender que temos o que refletimos, somos o que fazemos, vivemos como sentimos. Não há verdade oculta que não seja revelada e se não vemos é tão somente porque estamos de olhos fechados. (Kuthumi)

Essa mensagem do Mestre Kuthumi – que entre outras encarnações teria sido Baltazar, um dos três reis Magos e São Francisco de Assis – nos faz refletir que realmente a sabedoria dos Mestres não traz nada de novo, senão uma releitura de velhas máximas da sabedoria universal presentes em diversas culturas. Ainda assim, essas palavras são de suma importância no caminho de todo aquele que busca a paz interior e a comunhão com Deus.

Essa reflexão faz lembrar, então, aquele que é considerado pelos teólogos como o mais bonito dos textos bíblicos:

Vaidade das vaidades, diz o pregador; vaidade de vaidades, tudo é vaidade. Que proveito tem o homem, de todo o seu trabalho, com que se afadiga debaixo do sol? Uma geração vai-se, e outra geração vem, mas a terra permanece para sempre. O sol nasce, e o sol se põe, e corre de volta ao seu lugar donde nasce. Todos os rios vão para o mar e, contudo o mar não se enche; o lugar para onde os rios correm, para ali continuam a correr. O que tem sido isso é o que há de ser; e o que se tem feito isso se tornará a fazer; nada há que seja novo sob o sol. (Eclesiastes)

Dessa forma, a sabedoria dos Mestres Ascensionados é mais um caminho para a nossa conexão com Deus, uma ponte para nos religar à nossa essência divina e à ciência das Chamas Sagradas, mais um instrumento de autoconhecimento e desenvolvimento espiritual.

Todas as verdades existem para serem descobertas, todos os caminhos de Deus levam a Deus, e não obstante a importância das religiões, o verdadeiro sentido da espiritualidade é nos inspirar na conquista de nós mesmos, do nosso amadurecimento, na vontade de sermos melhores para nós mesmos e para com os outros, no reconhecimento de que as coisas simples nos trazem felicidade e essa felicidade nos alimenta os sonhos. Sonhos que uma vez realizados nos brindam com o mais saboroso paladar – o gosto da plenitude.


Cláudio Eduardo Schaffer é coordenador do Centro Chama Violeta sobre os Mestres, verdades e mitos sobre os Sete Raios.

Para saber mais:

Mahatmas, Helena Blavatsky – Ed. Pensamento
A Gruta do Sol – Mariza Varela – Ed. Madras
A Chave para a Teosofia – Helena Blavatsky – Editora Teosófica
Os Sete Mestres, suas origens e criações – Maria Silvia P. Orlovas – Ed. Madras
Rituais e Preces dos Mestres Ascensionados – Edwin Courtenay – Ed. Pensamento

Imagens: Ponte para Liberdade e Editora Teosófica 

1 Comentário

  1. Olá!
    Meu nome é Vanja Vasconcelos Pereira e estou começando a estudar a Fraternidade Branca e os Mestres Ascencionados. Quero ler o livro “Rituais e Preces dos Mestres Acencionados”, mas não o encontrei. Vocês tem o livro em pdf ou outro meio que eu possa comprá-lo e ler?

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here