Filhos e lápis, como escrever uma boa vida para a criança

0
113
Imagem: klimkin / shutterstock

Quatro ensinamentos que irão mudar sua visão sobre a educação infantil.

Cuidar da educação de uma criança não é uma tarefa fácil. É na primeira infância, da concepção até os sete anos, que se desenha a estrutura do caráter dos pequenos, e este é um papel importante que pais e educadores devem desempenhar nesta fase.

Para ajudar pai, mãe e professores com esta grande responsabilidade o educador e rabino Samy Pinto sugere uma reflexão sobre os filhos e alunos.

“Uma alegoria que podemos utilizar para entendermos melhor a importância dos pais e educadores na vida das crianças é a de considerar nossos filhos como lápis. Isso nos trará quatro fortes lições”.

1ª Lição: Nas mãos certas

O primeiro ponto desta metáfora é que o lápis só funciona se estiver em boas mãos. “A responsabilidade das mãos é fundamental para que o lápis funcione. Os professores e os pais têm uma responsabilidade, uma missão sagrada de escrever nas páginas da vida de uma criança”.

2ª Lição: Escrever com lápis e não com caneta

É muito normal errar, fazer algo e não ficar tão bonito na primeira, segunda ou terceira tentativa, por esse motivo a importância de saber que não escrevemos com caneta na vida de nossos filhos e alunos. “Na literatura rabínica sempre se coloca o lápis para que possamos escrever. Com ele se consegue apagar algum erro ou algo ilegível. Com o lápis temos a capacidade de aprimorar, corrigir, rever a rota, etc. e devemos ver nossos filhos dessa perspectiva”.

3ª Lição: O que está por dentro

A grafite que está protegida pela madeira no lápis é o mais importante, e ao seguir a analogia, o que realmente importa é o que está dentro da criança. “Na educação o que realmente interessa é o ser do filho, do aluno. As aparências enganam e temos que ficar atentos com o que está no interior dos pequenos, para que o ajudemos a desenvolver as habilidades próprias deles”.

4ª Lição: A importância de apontar o lápis

Algumas situações levam os pais e professores a corrigir os filhos, e isso pode ser um trabalho difícil e que causa desconforto. É necessário conscientizar da grande relevância que essa parte da educação tem na vida dos filhos. “Às vezes temos que apontar, e o apontar do lápis parece que dá uma dor muito grande ao coitadinho do lápis, mas é preciso entender que apontá-lo é para deixá-lo mais afiado, preparado para escrever de forma mais bonita. As vezes essas dores nos ajudam a aperfeiçoar e deixar mais afiado”.

Para finalizar, uma última comparação. “Quando se fabrica um lápis, espera-se que ele seja útil, escreva muito. A nossa vida é essa, escrever. E os nossos filhos serão futuramente as próprias mãos que irão segurar os próprios lápis”.


Samy Pinto é educador e rabino.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here