Você é consumista? Algumas dicas para controlar este impulso

0
353
Imagem: gonghuimin / shutterstock

Preste atenção em sinais como sair do shopping com várias sacolas lotadas de compras que nem precisava, arrependimento por ter comprado mais do que o necessário, já que isso acontece com grande parte das pessoas e são sintomas do consumismo.

Apesar do prazer momentâneo, ter atitudes consumistas faz mal a pessoa, ao bolso e também ao planeta. Por isso, é preciso tomar muito cuidado, ainda mais no atual momento econômico do país, onde gastar com itens desnecessários podem acabar com o seu orçamento. De acordo com o diretor do Instituto Ideah William Ferraz, muitas pessoas consomem em excesso, pois estão tentando preencher um vazio interior.

“Nos dias de hoje, as pessoas estão cercadas de opções de compra e a sociedade, de maneira geral, está cada vez mais consumista. Porém, em alguns casos, a pessoa passa a acreditar que é preciso possuir para se sentir plenamente realizada. Isso ocorre porque não encontra as respostas que procura. Esse desconhecimento faz com que haja impulsos e uma busca de um prazer momentâneo. Na tentativa de eliminar esses espaços vazios, ela não percebe que esses vazios nunca serão preenchidos dessa forma e sempre será necessário mais e mais”.

Mas, é possível controlar os impulsos consumistas e promover uma mudança que fará bem não só para a vida financeira, mas para a vida como um todo.

Para isso, é importante seguir algumas dicas:

A primeira delas é identificar os fatores que levam ao consumismo, já que o problema pode estar relacionado com questões emocionais como ansiedade, o materialismo e a compulsão. Dessa forma, o ideal é buscar o desenvolvimento da inteligência emocional. Ao entender e conhecer o que sente, a pessoa conseguirá evitar os episódios de compulsão e, ao invés de comprar, encontrará outras atividades que ajudem a lidar melhor com seus sentimentos.

O aumento da autoestima também favorece neste processo de mudança, já que muitas vezes essas compras em exagero servem como uma compensação rápida e momentânea para alguma tristeza, mágoa ou frustração pessoal. Nesse caso, a compra é vista como um oásis em meio aos problemas e traz um alívio momentâneo. Outra dica é iniciar atividades que tragam uma sensação de satisfação e bem-estar, como praticar um esporte, começar um novo curso, fazer trabalhos voluntários. Assim, o indivíduo verá que é possível se sentir feliz realizando outros tipos de atividades.


William Ferraz é diretor do Instituto Ideah.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here