Como lidar com seu cão nas altas temperaturas

1
413
Imagem: Greyerbaby / Shutterstock

A que o tutor precisa ficar atento para lidar com seu cão nas altas temperaturas.

Os cuidados com os animais de estimação devem ser constantes. Mas, de acordo com a estação do ano, os tutores precisam ficar atentos a algumas questões. “Em épocas de temperaturas mais elevadas, é importante que o tutor saiba que o cão não sofre perda de calor como nós, pela transpiração, pelo suor.

A perda de calor no cão se dá por meio da ofegação e de glândulas que ficam nas patas, entre os dedos”, explica o médico-veterinário Alexandre Merlo.

Algumas precauções que o tutor deve ter neste momento com o seu cão.

Água limpa sempre disponível

Como o cão não tem perda de calor pelo suor como os humanos, a água é importante para que ele se refresque. Preste atenção se a vasilha de água não fica exposta ao sol. A água deve estar limpa e fresca.

Banho

A maioria dos cães, que vive em casa ou apartamento, toma banho uma vez por semana. Para animais de porte pequeno, essa frequência pode ser mantida. Para os de porte grande, que muitas vezes não tomam banho toda semana, banhos mais frequentes podem ser recomendáveis, a depender da rotina do animal

Tosa

Os pelos retêm o calor no animal. O tamanho, se mais curtos ou longos, muitas vezes acaba sendo uma decisão humana com base nos padrões raciais definidos. Há raças com pelos tradicionalmente mais curtos e outras cujos pelos são mais longos. No verão, podemos deixar o pelo com comprimento menor, mas deixá-lo rente à pele não é recomendado. Além do corte, a escovação, que em geral ocorre de uma a duas vezes por semana, é bastante importante.

Horários de passeio

O cão absorve o calor do ambiente, mas não tem a mesma facilidade para eliminá-lo, uma vez que não sua como as pessoas. Se a temperatura for muito elevada, ele não conseguirá ofegar para dissipar o calor na mesma proporção. Por isso não é recomendado que o passeio seja feito nos horários mais quentes do dia, como próximo à hora do almoço.

Isso pode levar o cão a um estado de intermação, que é o colapso causado pelo aumento de temperatura após suma exposição a calor excessivo. Sintomas como ofegação muito intensa após um passeio, fraqueza e redução de consciência podem indicar uma situação de risco, e o animal deve ser imediatamente levado ao médico- veterinário para resfriar o corpo.

Em alguns casos, a intermação pode levar até a óbito. Além do horário do passeio, que deve ser feito logo cedo pela manhã ou no fim da tarde, o animal deve estar sempre próximo à sombra para evitar que as patas tenham contato com o chão quente. Paradas ao longo de todo o passeio devem ser feitas, para que o animal descanse. Levar água fresca e oferecê-la frequentemente ao cão também é necessário.

Doenças, pulgas e carrapatos

Prevenção e tratamento contra pulgas e carrapatos devem ser realizados durante todo o ano, porém é durante as estações mais quentes do ano que esses parasitas proliferam mais rapidamente e os cuidados devem ser redobrados.


Alexandre Merlo é médico-veterinário e gerente técnico de Animais de Companhia da Zoetis, uma companhia global líder em saúde animal, dedicada aos clientes e seus respectivos negócios. www.zoetis.com.br

1 Comentário

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here