Seis comportamentos do seu cão que você deve prestar atenção

0
1358
Imagem: Fran__ / Shutterstock

Os cachorros podem mudar de “humor” várias vezes em um único dia, e os tutores devem estar sempre atentos se algo está diferente do habitual com seu pet; especialista em comportamento animal Cleber Santos lista alguns sinais que os cães costumam dar quando eles precisam de ajuda

Falar sobre comportamento animal é mais do que ensinar o seu pet a fazer xixi ou dormir no local certo. É pensar no bem-estar dos pets, de forma mais ampla. Por isso, é importante observar o comportamento do seu cão para saber não só se ele está feliz ou triste, mas também se sua saúde está bem. É necessário ter bastante atenção, visto que certas atitudes podem ser consideradas normais, mas, se repetidas muitas vezes, seu bichinho pode estar querendo te dizer algo.

“Para saber se está tudo bem ou não com o pet, é importante reconhecer suas necessidades básicas, sendo uma delas a atenção que o tutor deve dar ao animalzinho. Muitas vezes, o fato de o cão beber mais ou menos água que o normal já pode indicar algo, ou mesmo se o ele está fazendo xixi fora do lugar certo. Além disso, deixar um cachorro por muito tempo sozinho e sem atividade, por exemplo, pode gerar grandes problemas comportamentais”, comenta Cleber Santos.

Sabemos que, quando se tem um pet em casa, há muita coisa que os tutores desconhecem neles. Então, é responsabilidade do dono prestar atenção em todos os comportamentos e ações incomuns de seus cães, a fim de identificar possíveis doenças ou outras questões. “Os animais podem dar muitos sinais de que não estão bem, e é muito importante que os tutores identifiquem isso o quanto antes e busquem a ajuda de um especialista. Quanto mais cedo o problema for identificado, mais assertivo será o tratamento”, explica Santos.

Abaixo, o especialista resume algumas atitudes incomuns que podem servir de alerta para algum possível problema com o cãozinho:

Agressividade

Se um cão que não se mostra frequentemente agressivo passa a ter esse tipo de comportamento, sem motivo aparente, e tenta atacar pessoas ou mesmo outros animais, é sinal de que algo não está bem.

“Se o cão passou a ter atitudes agressivas ‘de uma hora para outra’, pode ser que esteja muito estressado e precise liberar mais energia. No caso de um novo animal ou membro novo na família, por exemplo, isso pode causar no cachorro sentimentos como ciúmes, o que gera esse comportamento mais agressivo, em que ele quer mostrar que aquele é o território dele e não do membro que acabou de chegar. Além disso, se o animal passa a ser agressivo com seus tutores sem motivo, pode ser que esteja incomodado com alguma dor e isso precisa ser observado, a fim de evitar maiores problemas”, explica o especialista.

Latir ou chorar muito

O latido é a forma do cachorro se comunicar, uma vez que eles não falam, como os humanos. Porém, um simples som emitido por ele pode ser muito mais do que uma forma de chamar atenção de seu tutor. Geralmente, eles latem ou choram quando estão com fome, com sono, quando querem carinho e atenção, ou quando estão com frio, por exemplo. Alguns também choram muito quando se sentem sozinhos ou deprimidos.

“Cachorros também podem ter problemas como depressão e ansiedade, além de diversas doenças psicológicas. Em outros casos, o seu cachorrinho apenas precisa de algumas aulas de adestramento para parar com a ‘manha’ constante. Mas, antes de tomar uma decisão do que fazer, é preciso encontrar o problema pela raiz. Procure um especialista para traçar um diagnóstico”, alerta Santos.

Apatia e falta de energia

Se o seu cão parece apático, sem energia, e passa a dormir demais, pode ser indício de vários problemas de saúde, como anemia, fraqueza, dores, doenças como hipotireoidismo, raiva, cinomose, e até mesmo depressão.

Nesses casos, é importante que os tutores observem fatos recentes de sua rotina que podem ter desencadeado tal comportamento. “Estão tendo tempo para brincar com ele, por exemplo? Outro caso que pode gerar tristeza e apatia é o mesmo comentado anteriormente: ciúmes. Assim como o animal pode se tornar agressivo por conta disso, ele também pode aparentar estar triste e, assim, mais apático”, comenta.

Outro motivo que pode gerar tal comportamento é quando o animal passa por alterações bruscas em sua rotina. “Se ele passou por uma mudança de casa, por exemplo, ou mesmo perdeu alguém com quem convivia diariamente, isso pode afetar seu comportamento e deixá-lo mais cabisbaixo, quieto, sem energia e dormindo com mais frequência”, explica o especialista.

Respiração ofegante – mesmo quando parado

Embora na maioria das vezes não indique um problema de saúde sério, a respiração ofegante de um cachorro deve ser considerada um sinal de alerta para os tutores. Isso porque, em estado normal, o cão fica ofegante para manter a temperatura adequada do corpo. Porém, quando isso acontece em excesso, sem um motivo aparente, pode ser indício de doenças.

“Existem casos em que o animal está com problemas respiratórios graves, obesidade ou até mesmo excesso de calor em dias quentes. É preciso manter a atenção”, alerta Santos.

Alterações de peso

Muitos acreditam que o cachorro só vai perder peso quando, por algum motivo, para de sentir fome e comer. Porém, existem casos em que o animal come a quantidade de alimento recomendada para o seu peso e, mesmo assim, emagrece de forma repentina.

“Por isso, eu repito que é preciso ficar atento a todos os passos de nossos animais. Eles podem mostrar diferentes alertas de que precisam de ajuda. Emagrecer, ainda que comendo na quantidade e horários certos, não é normal e deve ser observado”, salienta o especialista.

Na contramão disso, se o animal está engordando rapidamente, também não é bom sinal. “A obesidade em cães é um dos maiores problemas que vem acometendo os cães nos últimos anos. É importante que os tutores estejam atentos e levem os a um veterinário nesses casos, que indicará o melhor tratamento para resolver o problema”, completa.

Sede em excesso

Todo animal deve beber água, isso é extremamente importante para a saúde dele, afinal, já se sabe que a desidratação prejudica a saúde do animal. Porém, Santos explica que, quando o cãozinho está bebendo muita água, pode ser sinal de algum problema mais sério.

“É normal se hidratar mais quando está calor ou quando se pratica exercícios, por exemplo. Mas, se a ingestão de água aparecer sem nenhuma causa aparente, é preciso procurar um especialista, pois pode ser sinal de doenças renais ou diabetes, por exemplo”, finaliza o especialista.


Cleber Santos – Especialista em comportamento animal, atua como adestrador de cães há 12 anos. Trabalhou para grandes canis do interior de São Paulo, treinando cães de policiais de todo o Brasil. Desde 2010, está também à frente da ComportPet, centro que oferece consultoria comportamental, adestramento e serviços de hotelaria e creche, além de atendimento veterinário, estética animal e terapias alternativas para pets, como a musicoterapia. É um dos únicos profissionais do Brasil que também adestra gatos.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here