Soltando o Tempo

0
1422
Capa do livro

Soltando o Tempo é o novo romance de Ercília Pollice. O romance é uma das produções mais características da narrativa da atualidade e também uma das mais significativas para nós leitores, já que nos diz muitas coisas sobre a interioridade do indivíduo e também sobre aspectos importantes do cotidiano em sociedade.

À sensibilidade contemporânea, o elemento afetivo e familiar que ocupa o centro desse enredo aparece sempre carregado de significados, como a irrupção de tantas vivências, do que parecia estar guardado, do que precisa ser agora compartilhado para que não se esqueça. Sentimos que as frases vão descortinando memórias fecundas e falam diretamente a nós, deixando-nos prontos para apreciar o texto como um mosaico de cores que ilustra cada parte dessa obra.

Soltando o tempo é a narração poética de alguém comprometido com a arte. Uma escritora dedicada a compor imagens por meio de palavras que harmoniosamente dão existência a um texto rico, envolvente e delicado. Em discurso direto as impressões daquela que escreve e as reminiscências da personagem principal vão sendo amalgamadas, criando um conteúdo que deve ser apreciado, antes de tudo, como uma ode de amor à vida.

Escritora Ercilia Pollice
Escritora Ercilia Pollice

Com um estilo particular na forma de contar histórias, Ercília Pollice aguça os nossos sentidos e paixões, conduzindo-nos por diferentes espaços, através do tempo. É a partir dessa perspectiva que fatos e ações são expostos em uma progressão que tece tramas, colocando-nos como observadores privilegiados do universo mágico e encantador de Elena. Momentos únicos que revelam lugares escondidos, desejos e saudades, como diria Cecília Meireles, de silenciosas lembranças.

Nesse texto, com o qual a editora Penalux nos presenteia, a memória tem uma função definitiva ao reviver ou mesmo restabelecer experiências passadas e tudo quanto se ache associado a elas: Elena, Leninha, Lena; a figura marcante do pai; a visão humana em relação à mãe; a cumplicidade próprias de irmãos que se querem bem; avôs, tios, primos; família, filhos e netos; recordações do mar e da areia da praia, das casas e das ruas, do campo e da cidade; a escola, os jogos e as brincadeiras; mudanças, passeios e viagens; animais e plantas; comidas, bebidas, aromas e sabores; vizinhos, amigos, agregados; cantigas e lendas; o desabrochar do amor em todas as suas formas; a infância, a juventude, a maturidade. Está tudo lá, não necessariamente nessa ordem, dado que o ato de narrar permite um ir e voltar naquilo que está sendo contado.

O dado comum a essa convergência entre narração e memória é colocar em primeiro plano a recriação do vivido por meio de experiências que ora são de Elena, ora parecem ser de Ercília. Mundos que se misturam em enunciados simples e muitas vezes diretos, colocando de lado a racionalidade que tantas vezes procura deixar tudo sempre arrumadinho. É como se esse romance nos desse a ver, concretizando-se numa sequência de ilustrações e confiando a sua força de comunicação ao poder de suscitar cenários de rara beleza. O que conta não é somente a maestria da autora ou a busca pelos lampejos abstratos que rondam os nossos pensamentos, mas a evidência de cenas tão complexas e ao mesmo tempo tão naturais, transbordantes de uma filosofia própria de quem acumula experiências ricas e enriquecedoras, compartilhando-as em linguagem refinada e acessível que, com certeza, agradará desde o mais novo até o mais velho leitor.

Sobre a análise crítica, melhor deixa-la aos especialistas; o envolvimento ao ler esse exemplar se tornou tão imparcial que agora só compete elogiá-lo e torcer para que o maior número de pessoas possa se deleitar com agradável leitura.

Este livro, portanto, é resultado de um belíssimo trabalho de escrita, levado a efeito por um grupo editorial compromissado com a difusão da leitura.  Soltando o tempo chega para coroar de louros o trabalho de uma artista que circula com facilidade entre a prosa e o verso literários e as outras artes. Narrativa dinâmica e surpreendente, plena de imagens e memórias, fazendo desse romance uma leitura obrigatória para todos aqueles que gostam de celebrar o amor, a família, a união e a vida.


  • Soltando o Tempo
  • Autora: Ercília Pollice
  • Editora: Penalux

Por Luciano Pfeifer – Ercilia Pollice é escritora e também escreve para o portal Plena Mulher.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here