Alterações nos olhos podem revelar doenças

0
192
Imagem: PublicDomainPictures / Shutterstock

Alterações nos olhos podem revelar doenças como hipertensão, diabetes e colesterol alto. Por meio do exame de fundo de olho é possível identificar essas e outras doenças crônicas presentes no corpo e não apenas as doenças oculares.

Visão embaçada, desconforto visual e vermelhidão nos olhos revelam diversas doenças, que podem não ser oculares, como, por exemplo, hipertensão, diabetes e colesterol alto. O exame de fundo de olho, que deve ser feito periodicamente, identifica os sinais quando há algo de errado no organismo. “Isto se deve porque a única região em que é possível ter uma visão direta dos vasos e artérias é o fundo do olho”, explica o oftalmologista e Professor da USP, Dr. Rony Preti.

Doenças crônicas são as mais comuns de serem identificadas por meio de exames oftalmológicos. Pacientes com pressão alta, geralmente, apresentam borrões ou manchas vermelhas persistentes na área branca de ambos os olhos (esclera). Essa doença expande os vasos sanguíneos, devido ao excesso de pressão, e pode até estourá-los, deixando avermelhada a região. Além da parte da frente do olho, a retina também pode ser afetada pela Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS) causando derrame ou aneurismas na retina que podem levar a perda visual.

Diabetes

O diabetes também afeta os vasos sanguíneos, provocando doenças oculares graves, como catarata, glaucoma e retinopatia diabética. O fornecimento de sangue em pacientes diabéticos é reduzido, devido ao bloqueio de vasos sanguíneos, levando a uma baixa entrega de oxigênio e nutrientes, que prejudicam o funcionamento dos tecidos do organismo e do olho, como a retina. “O exame de fundo de olho alterado de um paciente diabético pode revelar problemas nos rins e nos pés, já instalados, porque quando os olhos de pacientes com esse diagnóstico estão em situação grave, os pés e os rins, geralmente, estão no mesmo estado”.

Colesterol

O colesterol, por sua vez, pode ser apontado por meio de um anel branco com aspecto leitoso ao redor da íris do olho, que sinaliza o acúmulo de lipídeos na córnea, chamado de halo senil. Esse sintoma, em 50% dos casos, é causado por uma deposição de gordura na córnea. Outro sinal de colesterol elevado presente nos olhos é na superfície das pálpebras, que formam caroços de diversos tamanhos, amarelados e com bordas bem definidas, chamados de xantelasmas.

Com relação ao acometimento do fundo do olho; “Durante exames oftalmológicos, o médico pode identificar a presença de veias ou artérias entupidas, devido às placas de gordura. Quando o colesterol impede a irrigação de sangue de tecidos oculares e da retina, há grave comprometimento da visão. É importante lembrar, também, que o colesterol pode agravar o quadro dos pacientes diagnosticados com diabetes e/ou pressão alta”.

Doenças infecciosas

Doenças infecciosas também podem dar sinais por meio do olho. O HIV, por exemplo, pode ser identificado por meio de doenças corneais como a ceratoconjuntivite bacteriana e fúngica, inflamação do olho que afeta a conjuntiva e a córnea, provocando sintomas como vermelhidão dos olhos, sensibilidade à luz e a sensação de areia nos olhos e ceratite por citomegalovírus, inflamação do tecido transparente na parte frontal do olho (córnea), que causa vermelhidão intensa, dor nos olhos, lágrimas em excesso e visão embaçada. O HIV pode causar, ainda, uveíte, inflamação da camada média do olho (úvea) e retinite, doença ocular em que a parede posterior do olho (retina) encontra-se danificada. “A sífilis também pode ser identificada por meio de doenças oculares como a ceratite, úveite e coriorretinite, processo inflamatório que envolve o trato uveal do olho e, geralmente, anda quem tem sífilis tem grande chance de ter HIV”.


Dr. Rony Preti é oftalmologista, professor da USP e fundador do Preti Eye Institute, referência no tratamento de doenças dos olhos. Entre as especialidades atendidas estão: catarata, ceratocone, conjuntivite, degeneração macular, estrabismo, glaucoma, moscas volantes, retinopatia diabética, descolamento de retina, toxoplasmose, vícios de refração, visão subnormal, entre outras. www.pretieyeinstitute.com.br

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here