Como iniciar 2018 com menos dores e mais saúde

0
427
Imagem: netjumps / shutterstock

Com a chegada de 2018 estamos atravessando uma nova passagem, idealizando as nossas metas e desejos para uma nova fase. Aplicamos ‘ter saúde’ como uma das maiores pretensões, mas o que fazemos para evoluir esse quadro efetivamente? Temos sempre que lembrar que quanto antes iniciarmos o cuidado com a nossa saúde menos vamos ter que gastar tempo com nossas doenças.

Neste ano que chega, fazer exercícios físicos, meditação e outras atividades podem ajudar a diminuir a presença da dor no cotidiano. A dor é, de maneira geral, algo que nos compromete, tira a concentração e a capacidade de realizar nossas atividades diárias, de viajar, de caminhar e conhecer lugares novos. Acaba limitando nosso lazer e restringindo nossos prazeres. Lembre-se que somos seres bio-psico-sociais e diversos fatores podem nos ocasionar dores, ansiedades e doenças.

Podemos ter todas as capacidades do nosso corpo em perfeito estado de funcionamento e ainda assim não estar completamente saudável. Estar em um estado assintomático não significa ter saúde. O intestino preso, noites mal dormidas ou sem sono reparador, sedentarismo e desequilibro hormonal parecem coisas normais e corriqueiras em um mundo tão rápido como o nosso, mas será que temos saúde ou apenas não temos sintomas?

Devemos aproveitar este momento para adquirir hábitos melhores. O verão é a estação ideal para começar a mudar maus hábitos que temos no restante do tempo. Desfrute dessa época para praticar esportes ao ar livre, ter contato com a natureza e consequentemente diminuir o estresse. Além disso, o calor ajuda as pessoas a modificar os comportamentos alimentares, inserindo mais comidas frias e frescas como verduras, saladas e peixes nas refeições e reduzindo a ingestão de carboidratos e gorduras.

Tratamentos alternativos também podem colaborar para uma vida mais tranquila. A microfisioterapia é uma delas, sendo uma técnica que ajuda a regular os tecidos do corpo e deixa-lo em equilíbrio, funciona quase como uma reconfiguração do seu próprio setup, nos livrando de vícios do corpo.

Claro, milagres não existem e não podemos buscar soluções incabíveis se não nos propormos a mudar o estilo de vida, no entanto a microfisioterapia pode sim funcionar como um método preventivo para dores e desequilíbrios que nós não percebemos no nosso dia-a-dia, e que futuramente podem se tornar sintomas.

É recomendado uma mudança global. Atividades físicas, alimentação e diminuição do estresse são elementos que fazem parte do nosso ambiente e podem nos ajudar ou prejudicar em termos de manter ou não uma vida saudável.


Fábio Akiyama é fisioterapeuta e trabalha com a microfisioterapia, terapia que estimula a auto cura através do toque, ou seja, faz com que o corpo reconheça seu agressor e inicie o processo de reprogramação celular. É pós-graduando em técnicas osteopáticas e terapia manual, além da formação em osteopatia visceral, posturologia clínica e equilíbrio neuro muscular. www.mindtouch.com.br

DEIXE SEU COMENTÁRIO