Fim das enxaquecas: essa mudança na alimentação pode resolver o problema

0
995
Imagem: geralt / Shutterstock

Quem tem crises de enxaqueca sabe: qualquer tipo de dica é bem-vinda para tentar escapar das crises. E um novo estudo, publicado no final de julho no periódico “Nutrients”, aponta que uma boa arma nessa luta pode ser uma dieta com baixos níveis de carboidratos.

Desde a década de 1920, há evidências de que a dieta cetogênica – com baixíssimos níveis de carboidratos – poderia ajudar a prevenir enxaquecas. No entanto, ainda não estava claro se esse efeito estava ligado aos carboidratos, em si, ou à perda de peso.

Para investigar, uma equipe de pesquisadores, liderada pelo italiano Cherubino Di Lorenzo, da Fundação Don Carlo Gnocchi, comparou os resultados da dieta cetogênica com outra dieta com poucas calorias, mas rica em carboidratos.

Para o estudo, foram monitorados 35 adultos com sobrepeso que sofriam com enxaquecas frequentes. Em ordem aleatória, cada um deles passou quatro semanas seguindo uma das duas dietas. Os participantes receberam refeições como smoothies e sopas que tinham a mesma quantidade de gordura e calorias, mas diferentes proporções de proteínas e carboidratos, dependendo da dieta.

Em geral, os participantes perderam a mesma quantidade de peso ao longo do estudo. No entanto, a dieta cetogênica foi muito mais eficaz na prevenção de enxaquecas. Quase 75% dos participantes que seguiram a dieta ceto tiveram seus dias de enxaqueca reduzidos pela metade, no mínimo. Enquanto isso, apenas 9% dos indivíduos experimentaram esse nível de melhoria na dieta que era rica em carboidratos.

Primeiro passo

Caso essa eficácia seja comprovada no longo prazo e com grupos de pacientes mais diversos, esse pode ser um avanço importante. Atualmente, os melhores medicamentos para prevenção de enxaqueca disponíveis – anticorpos monoclonais CGRP – reduzem os dias de enxaqueca em pelo menos metade para até 48% dos usuários.

À revista “New Scientist”, Di Lorenzo explicou que a dieta cetogênica pode funcionar porque o cérebro está usando cetonas (compostos orgânicos nas quais a dieta é rica) como combustível ao invés da glicose. Em estudos com animais, disse ele, corpos cetônicos reduziram a inflamação do cérebro e pararam a propagação das ondas elétricas que, acredita-se, causam a dor da enxaqueca.

A cientista Christina Sun-Edelstein, da Universidade de Melbourne, disse à revista que mais pesquisas são necessárias antes que a dieta cetogênica possa ser recomendada para a prevenção da enxaqueca. “Há muitos tratamentos de enxaqueca que parecem funcionar bem inicialmente, mas que acabam decepcionando”, afirmou. “Se for demonstrado que ela é efetiva e segura em estudos maiores, eu acredito que [a dieta] é algo que muitas pessoas estariam dispostas a tentar”.

A dieta cetogênica faz o corpo queimar gordura em vez de carboidratos. Além de ajudar na perda de peso, estudos já mostraram que ela parece aliviar condições neurológicas como epilepsia e esquizofrenia em algumas pessoas.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), 30% ou mais da população mundial entre 18 e 65 anos relatam ter enxaquecas. Por causa de influências hormonais, elas afetam três vezes mais as mulheres do que os homens.

Como alguém que tem enxaquecas mensais há anos, mas não vive sem batata e macarrão, eu, pessoalmente, só posso me comprometer a passar na farmácia e comprar mais analgésico. [New ScientistEarth.com]

Fonte: Hypescience

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here