Relacionamento ou sexo casual pode se tornar um vício?

0
400
Imagem: StockSnap / Shutterstock

O sexo casual facilitado pelo contato via tecnologia virou prática comum, mas muitas pessoas ainda desconhecem.

As pessoas costumam associar o termo “namoro ou sexo casual” as facilidades das novas tecnologias a aplicativos de contato rápido e próximo que oferecem a oportunidade de você se encontrar com a pessoa que acaba de conhecer pelo smartphone, ipad, tablet ou computador pessoal.

Muitas consideram a possibilidade de conhecer alguém pela tecnologia um perigo, mas esquecem-se que conhecer uma pessoa no bar da esquina, na balada, no cinema, no restaurante também é a mesma coisa, desde que seja um desconhecido. No final, se o encontro terminar sobre uma cama em quatro paredes em um motel, hotel, na casa do desconhecido ou em qualquer lugar onde estiverem, poucas pessoas ou ninguém estará por perto.

Outras pessoas associam o termo “sexo casual” a ter um caso de uma noite quando, a definição mais correta é: “qualquer relacionamento em que um casal não esteja namorando um com o outro”. Em outras palavras, de acordo com a sexóloga Carla Cecarello, ao invés de usar “sexo casual” como definição de relacionamento casual, o certo seria definir como aquele em que não há compromisso e tampouco as pessoas são sérias umas com as outras. “Ou seja, o sexo casual envolve muito mais a seriedade do relacionamento que as relações sexuais em que as partes estão envolvidas”.

Então, o que é namoro ou sexo casual?

A afirmação de que um casal está namorando ou casualmente envolvido em relações sexuais significa que não estão ligados um ao outro de qualquer maneira. Ambos ainda podem ver, sair, transar e namorar outras pessoas. O que quer dizer que não há compromisso e tampouco projetos futuros do tipo casamento, filhos, viver juntos, comprar casa, carro, etc. Quem adota esse estilo de relacionamento sai por um tempo, se diverte com o outro ou sai por apenas uma única noite. É importante lembrar que no sexo casual não há qualquer razão para as partes envolvidas quererem saber se a transa foi boa ou ruim ou se a outra pessoa deseja se encontrar novamente. “Todos que praticam sabem disso”.

Antes mesmo de um casal flertar com a idéia de um relacionamento casual, eles devem comunicar suas intenções um com o outro para evitar qualquer mal-entendido. Outra informação importante, é que neste tipo de relacionamento as hipóteses de haver um futuro em conjunto, de querer mais, pode ser o fim do relacionamento, uma vez que essa é uma intenção que quase nunca está presente na outra pessoa. “A última coisa que se deve fazer num relacionamento casual é ferir os sentimentos da outra pessoa, por isso, desde o princípio se exige sinceridade e honestidade. Se a pessoa sentir que deseja a outra pessoa com algum sentimento, é melhor conversar sobre e se preparar para uma resposta negativa, já que essa é a liberdade das relações casuais”.

Se o relacionamento está se transformando em algo inesperado, do tipo está se apaixonando pela pessoa e se aproveitando da situação, dormindo com ela sem a promessa de algo mais, é importante se lembrar dessa orientação. Seus sentimentos em relação a outra pessoa devem ser expostos, mesmo porque no “relacionamento casual é preciso ser honesto em qualquer momento para evitar que ambos passem por situações constrangedoras ou sofrimentos”.

Pode virar namoro sério?

Nas coisas do coração pouco se pode ter certeza. O casal pode estar se relacionando casualmente, mas vir se apaixonar, por que não? As possibilidades de ir para o próximo nível existem, mas são as pessoas que decidem se vão ou não para o algo mais. Se os encontros casuais ocorrem mais frequentemente e não param na primeira ou segunda ou terceira vez pode haver interesse de uma das partes ou de ambas, nada é tão rígido. “O importante é que os sentimentos, quando existirem, sejam expostos com sinceridade para que a decisão ocorra também de forma rápida. Ou seja, ou para ou continua e assim ficará mais fácil para ambos, caso a decisão não seja a que ambos querem”.

Por esse motivo, algumas pessoas podem perguntar “o que é um relacionamento casual?” porque pode-se argumentar que nenhum relacionamento é verdadeiramente casual. Há sempre o risco de o casal se tornar apenas isso – um casal – e se apaixonar um pelo outro, apesar de suas melhores intenções. Em uma nota mais triste, alguns casais decidem que seu relacionamento casual não pode continuar porque eles estão se tornando possessivos e ciumentos. Eles não querem gastar para sempre com essa pessoa, mas eles não querem ver essa pessoa feliz com qualquer outra pessoa também.

Como decidir pelo namoro casual

Namoro casual pode ser ideal para algumas pessoas e impraticável para outras. Desta forma, depende do estágio em que cada pessoa está na vida ao determinar se deve buscar um relacionamento casual. Depende do que cada pessoa deseja para o futuro e o que pretende em relação aos seus próprios sentimentos. Se for uma pessoa que tem necessidade de se relacionar e ter companhia, é claro que o sexo casual ou namoro casual não combina. Por outro lado, se for uma pessoa que quer aprender sobre sexo, desde que tenha sempre muito cuidado e se proteja durante os atos sexuais, pode se divertir mais brincando em campo por um tempo.

Para as mulheres a decisão é sempre mais difícil, tendo em vista o relógio biológico que cobra dela seus desejos de ser mãe e montar sua família, o que quer dizer que tem um tempo mais curto para se divertir no sexo casual. Para o homem, o tempo é mais amplo e desde que ele não decida assumir seus compromissos, o sexo casual é uma saída para não ficar só.

Estas são as comparações mais comuns. Mas, em relação as novas tecnologias, os sites de relacionamento, por exemplo, mostram um perfil diferente de mulher assumindo os romances casuais.

Por outro lado, as mulheres que estão divorciadas também quebraram o tabu e preferem um relacionamento superficial em vez de entrar num romance mais sério e comprometedor, de modo a evitar sentimentos mais profundos e feridas. Também os homens, especialmente os divorciados e viúvos preferem mergulhar apenas uma ponta do pé em vez do corpo todo numa relação séria. “Os que procuram o consultório preferem relações descontraídas até ter certeza de estão prontos para se comprometer novamente.


Carla Cecarello é sexóloga e consultora do site C-date especializado em encontros casuais, foi o primeiro site de encontros casuais da Europa. Atualmente está presente em 35 países e tem mais de 15 milhões de usuários. www.c-date.com.br

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here